Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Atendimentos para pacientes crônicos renais iniciam só no final de agosto no HGP

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Diversos pacientes renais crônicos visitaram o núcleo de hemodiálise do Hospital Geral de Parauapebas, unidade de saúde que leva o nome do ex-secretário municipal de saúde Evaldo Benevides. O intuito da visita foi averiguar a existência dos equipamentos e certificar quanto ao início do funcionamento. Apesar do hospital ter sido inaugurado no dia 1º de julho, ainda não está em funcionamento.

De acordo com a coordenadora do HGP, Nilcelia Santana, pelo menos 44 pacientes de Parauapebas fazem hemodiálise em outros municípios, sendo o principal deles Marabá; além de outros que não dependem do sistema público de saúde e ainda os que se mudaram para outras cidades em busca do serviço.


Por sua vez, o Secretário Municipal de Saúde, Juranduy Soares, o Centro de Hemodiálise não começa a funcionar no primeiro momento do hospital. Ele detalha que primeiro iniciarão os serviços da maternidade com obstetrícia de forma geral. “Nossa equipe já está fazendo as preparações finais para iniciar os serviços de hemodiálise”, informa Juranduy, certificando que a UTI precisa funcionar primeiro para dar garantias aos pacientes renais nas intercorrências que sempre ocorrem. Mas o secretário tranquiliza a população e afirma que no máximo no fim de agosto estará funcionando em sua totalidade devendo atender até 300 usuários/mês, nas 10 cadeiras que já estão instaladas.

Saiba mais

Quando os rins deixam de funcionar, a hemodiálise surge como uma opção de tratamento que permite remover as toxinas e o excesso de água do organismo. Nesta técnica depurativa, uma membrana artificial é o elemento principal de um dispositivo designado dialisador, comummente conhecido por “rim artificial”.

Reportagem: Francesco Costa / Portal Pebinha de Açúcar

Publicidade

Veja
Também