Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

BAMBURRARAM! Prefeituras de Parauapebas, Canaã e Marabá entre as mais saciadas

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Nesta sexta-feira (4), a Agência Nacional de Mineração (ANM) liberou a cota-parte da Compensação Financeira pela Exploração Mineral (Cfem) a que cada prefeitura de município minerador tem direito. Três executivos paraenses estão entre os dez que mais vão receber uma enxurrada de milhões na conta-corrente nas próximas horas.

Parauapebas e Canaã dos Carajás desfilam no topo do ranking dos royalties de mineração, ambos os quais sustentados pela extração de minério de ferro de alto teor. Marabá, que já chegou a ser segundo lugar no submundo da fartura mineral, arrasta-se na oitava posição, com o saco de cédulas nas costas angariado pela extração de cobre em concentrado. Nos próximos meses, a “Capital Nacional do Cobre” deve reagir e retornar ao seleto grupo dos cinco que mais arrecadam Cfem mensalmente.


Vale lembrar que os royalties deste mês são decorrentes da extração mineral feita em março, quando, pelo menos aqui no Pará, a “coisa” foi mais devagar em razão das fortes chuvas que se abateram sobre o estado. Isso implica dizer que os milhões devem aumentar nos próximos meses, quando o maquinário começar a operar a todo vapor sob o sol a pino do verão amazônico e seus quase 40 graus de emoção e fartura mineral.

A cota-parte repassada hoje e cujos valores vão enriquecer as contas de governo logo mais foi, no conjunto, maior em Minas Gerais. As prefeituras de daquele estado receberam cerca de R$ 60,6 milhões, bem acima dos R$ 48 milhões conquistados pelas prefeituras paraenses.

Fora do poderosíssimo circuito Minas-Pará, o estado de Goiás vem correndo por fora, caladinho, e conseguindo emplacar dois municípios (Alto Horizonte e Barro Alto) no listão da pujança. Além destes, o amapaense Pedra Branca do Amapari é outro “estranho” no ninho dominado sobremaneira pelas potências do ferro, do cobre, da bauxita e do ouro.

 

Fonte: Assopem

Publicidade

Veja
Também