Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Bebês, defuntos, amores e intrigas causam vuco-vuco nos cartórios de Parauapebas e Marabá

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Quem tiver seu casamento lindo e maravilhoso que não o esconda da população de Marabá. Lá, o povo corre léguas dessa palavrinha mágica. É o que revela a pesquisa “Registro Civil 2015” divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na última quinta-feira (24) e que traça uma radiografia da movimentação nos cartórios de todo o país no ano passado.

Os habitantes de Marabá estão a cada ano amando sério menos e se separando mais – é o 2º do Pará em número de separações. Se a moda pega, em duas décadas, não haverá mais um marabaense casado para contar a história. Sobram eternos divorciados, desquitados, descasados, desenrolados, desenvolvidos.
Em 2014, foram celebrados em Marabá 709 casamentos, número que caiu 19,5%, para 571 em 2015. Já as separações crescem de vento em popa: subiu 78%, de 301 para 536 situações.


FOGO DA PAIXÃO

Mas casar menos ou separar mais não é unanimidade na região. Em Parauapebas, o número de casamentos subiu loucamente de 1.175 registros em 2014 para 1.637 uniões em 2015 – é o 2º do Pará em número de casórios. É praticamente um “beijou, casou” frenético de corpos, notadamente no meio juvenil, na faixa de 19 a 29 anos. O diferencial de Parauapebas em relação aos demais municípios é que muitos estão casando “forçado”: geralmente o motivo do casamento-relâmpago é que a parceira está grávida.

No mesmo período, as separações praticamente estagnaram na “Capital do Minério”, passando de 524 para 528.
Já em Canaã dos Carajás, os interessados em ajuntar os panos realizaram 122 casamentos em 2014 e 150 em 2015, praticamente os mesmos números de Curionópolis, que saiu de 124 enlaces para 152.

Por outro lado, em Canaã, parece que a turma do “casa logo” não tem gostado da experiência. O município bate recorde proporcional de separações: saltou de 38 registros em 2014 para 84 em 2015, um “me cansei” superior a 120%. Em Curionópolis, as separações caíram de 64 casos para 51.

No Pará, os líderes de casamento são Belém (7.428 registros em 2015), Parauapebas (1.637), Ananindeua (1.573), Castanhal (1.086) e Santarém (1.001). Já quem lidera as separações são Belém (2.135 divórcios), Marabá (536), Parauapebas (528), Ananindeua (479) e Santarém (465).

Reportagem: André Santos / Colaborador do Portal Pebinha de Açúcar

Publicidade

Veja
Também