Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Campanha de combate à tuberculose alerta população

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

De acordo com a enfermeira Michelle Ferreira, coordenadora municipal de programa de combate à tuberculose, durante todo o ano ações são realizadas para sensibilizar a população, porém, durante a campanha, que ocorre em alusão ao Dia Mundial de Combate à Tuberculose, 24 de março, elas serão intensificadas.

Palestras e orientações para usuários das unidades de saúde, além de encaminhamento para realização de exame para diagnóstico da doença são realizados durante toda essa semana. Além das ações nas unidade de saúde, vídeos e áudios alertando a população sobre a doença, estão sendo veiculados na mídia local.


Segundo Michelle Ferreira, todos os profissionais das Unidades de Saúde da Família (USF) foram capacitados em 2014 para atuar na detecção dos casos e respectiva busca ativa de pacientes. “Estudos apontam que cerca de 30% da população mundial tem a bactéria, isso não implica dizer que elas estão com a doença, porém, com a baixa da imunidade ela pode ser desenvolvida”, acrescenta a enfermeira.

Tuberculose

A tuberculose (TB) é uma doença infecciosa e transmissível que afeta prioritariamente os pulmões. A doença é curável. Anualmente são notificados cerca de 6 milhões de novos casos em todo o mundo, levando mais de um milhão de pessoas a óbito. O surgimento da aids e o aparecimento de focos de tuberculose resistente aos medicamentos agravam ainda mais esse cenário.

No Brasil, a tuberculose é sério problema da saúde pública, com profundas raízes sociais. A cada ano, são notificados aproximadamente 70 mil casos novos e ocorrem 4,6 mil mortes em decorrência da doença. O Brasil ocupa o 17º lugar entre os 22 países responsáveis por 80% do total de casos de tuberculose no mundo.

Nos últimos 17 anos, a tuberculose apresentou queda de 38,7% na taxa de incidência e 33,6% na taxa de mortalidade. A tendência de queda em ambos os indicadores vem-se acelerando ano após ano em um esforço nacional, o que pode determinar o efetivo controle da tuberculose em futuro próximo, quando a doença poderá deixar de ser um problema para a saúde pública.

A descentralização do tratamento para a Atenção Básica pode ser apontada como uma das causas da redução nos índices da doença. O Sistema Único de Saúde (SUS) disponibiliza gratuitamente o tratamento contra a tuberculose. Para atingir a cura, o paciente deve realizá-lo durante seis meses, sem interrupção. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que, atualmente, existam no mundo nove milhões de casos novos da doença.

O principal sintoma da tuberculose é a tosse por mais de três semanas, com ou sem catarro. Qualquer pessoa com esse sintoma deve procurar uma unidade de saúde para fazer o diagnóstico. São mais vulneráveis à doença as populações indígenas, presidiários, moradores de rua – estes devido à dificuldade de acesso aos serviços de saúde e às condições específicas de vida -; além das pessoas vivendo com o HIV.

af-CaliaY2-MS-Tuberculose-FAIXA-400x200cm

Publicidade

Veja
Também