Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Campanha de combate ao Aedes Aegypti é apresentada durante coletiva de imprensa

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

A campanha foi apresentada à imprensa local durante uma entrevista coletiva que contou com representantes da Secretaria de Saúde e Secretaria de Urbanismo.

A principal frente de atuação no combate ao mosquito será os mutirões de limpeza urbana, que começa nesta sexta-feira (11), marcando o dia D de combate ao Aedes Aegypit. O bairro Casas Populares II, que tem o maior índice de infestação do mosquito, será o primeiro a receber o mutirão de limpeza realizado pela Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semurb).


Os agentes de endemias da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) também estarão presentes nos mutirões, visitando cada residência para: orientar os moradores quanto ao combate; verificar a presença de larvas do mosquito; aplicar veneno em caixas d’água e outros recipientes que são criadouros do inseto.

A população dos bairros contemplados com os mutirões será informada por meio de carro de som e dos veículos de comunicação da cidade.

Por se tratar de uma ação de governo, o gabinete do prefeito realizou uma reunião de sensibilização sobre a campanha de combate à dengue com os secretários municipais na manhã desta terça-feira (8). “Não vamos medir esforços para proteger nossa população, queremos todos envolvidos no combate ao Aedes Aegypit”, destacou o chefe de gabinete, Wanterlor Bandeira.

A campanha deve se estender até todo o primeiro trimestre de 2016 incluindo, além dos mutirões, ações e palestras de sensibilização nas escolas e repartições públicas, além de empresas.

Dados preocupantes

Segundo o último Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes Aegypti (LIRAa), realizado pela coordenação de vigilância ambiental da Semsa, Parauapebas apresenta um índice na casa de 4% de infestação do mosquito, o que é considerado elevado já que segundo o Ministério da Saúde esse índice não deve superar a 1%.

Outra informação que preocupa os agentes públicos é a notificação de 86 casos de Zika Vírus no município, parte deles enviados ao Instituto Evandro Chagas para confirmação ou não do diagnóstico. A Semsa aguarda os resultados. O nascimento de uma criança com microcefalia no município também está sendo investigado. “Fizemos uma vistoria na casa da mãe e encontramos vários focos do mosquito”, informou a enfermeira Nubia Lima, coordenadora da vigilância ambiental.

Reportagem: Karine Gomes

Publicidade

Veja
Também