Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Carro incendiado e confronto entre manifestantes e polícia marcam desobstrução da estrada de acesso à Palmares

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Após dias com a possibilidade anunciada de que a estrada de acesso à localidade Palmares, em Parauapebas e a várias comunidades poderia ser interditada, hoje (14), pela manhã a ameaça foi consumada.
Logo ás 7h00, moradores ocuparam a estrada com queima de pneus, permitindo apenas a passagem de moradores daquele bairro.

A justificativa apresentada por Romário Alves da Silva, um dos coordenadores da manifestação, foi o não cumprimento de acordos feitos entre a mineradora Vale e comunidade, que era de contratar pelo menos 400 trabalhadores daquela localidade.


Ele detalha que na última sexta-feira (3), foi realizada reunião entre a comunidade e a Diretoria de Relações com a Comunidade da Vale, quando foram feitos alguns acordos, sendo um deles a contratação de 68 trabalhadores de Palmares neste mês de abril. “Estamos esperando que a Vale compareça para cumprir o acordo feito, e que também insira a contração de pelo menos 20% de mulheres no número de trabalhadores”, explica Romário.

Porém por volta das 13h00, a Polícia Militar esteve no local e diante da resistência dos populares ao ato de desocupação da rodovia, terminou em confronto com 4 feridos à bala de borracha, sendo uma mulher e três homens.

Após a confusão a via foi liberada, mas, por telefone, a equipe de reportagem do Portal Pebinha de Açúcar falou com o Coordenador da Comissão de Trabalho Emprego e Renda da APROCPAR, Antônio Marcos da Conceição Santana, e ele garante que agora irão massificar as ações e cobrar da mineradora o prometido.

Também por telefone, nossa equipe de reportagem entrou em contato com o Tenente-Coronel Queiroz, comandante do 23º Batalhão de Polícia Militar em Parauapebas, que na oportunidade, afirmou que os policiais estavam apenas mantendo a ordem na manifestação e que quando foram tentar desobstruir a via, para que o direito de ir e vir fosse mantido, os manifestantes resistiram e partiram para cima dos policiais. “Não iniciamos nenhum confronto contra os populares, porém, a segurança de nossos homens e de outras pessoas estava em perigo, e na ocasião foi preciso usar armas com balas de borracha e spray de gás de pimenta para dispersar os manifestantes”, relatou o Comandante, que afirmou ainda que durante a interdição da via um carro de propriedade de uma das empresas que presta serviços para a mineradora Vale acabou sendo incendiado pelos populares.

Reportagem e fotos: Francesco Costa – Da Redação do Portal Pebinha de Açúcar

Publicidade

Veja
Também