CASO ANA KARINA: Alessandro Camilo é condenado a 24 anos de prisão

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Alessandro Camilo, que matou Ana Karina Guimarães em Parauapebas, sudeste paraense, em 2010, época em que a jovem esperava um filho dele, foi condenado pelo Tribunal de Justiça do Pará (TJPA) nesta quinta-feira (10), a 24 anos de prisão.

O crime chocou a população e teve seu desfecho na noite de hoje, mais de uma década após o assassinato. Alessandro Camilo, de 48 anos, foi condenado por homicídio duplamente qualificado, crime de aborto e ocultação de cadáver.


A atual esposa do condenado, Graziela Barros de Almeida, era acusada de planejar o assassinato junto com Alessandro, mas foi absolvida pelo júri popular. Francisco de Assis, cúmplice que ajudou a ocultar o corpo da vítima, foi condenado a 3 anos e 40 dias de detenção, a princípio em regime semiaberto.

Ana Karina foi morta de forma cruel

 

Como o assassino Alessandro já cumpriu pouco mais de sete anos de prisão, terá a redução proporcional e ficará no máximo 17 anos na cadeia.

Acompanhe um longo trecho do julgamento

 

Relembre o caso

 

Um encontro foi marcado em um local de pouca movimentação, onde já aguardavam Francisco de Assis Dias e Florentino de Souza Rodrigues, os outros dois acusados no processo. Depois da execução, Ana Karina foi colocada em um tambor que estaria na carroceria da caminhonete de Alessandro, e jogada no Rio Itacaiúnas. Antes, no entanto, os acusados teriam colocado pedras no reservatório e feito perfurações, para que permanecesse no fundo do rio. Dias depois do assassinato, Alessandro Camilo confessou o crime e relatou ter agido com a ajuda de comparsas.

veja também