Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

CDC recebe 5º Encontro dos Bambas neste domingo (3)

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Neste domingo (03), o Centro de Desenvolvimento Cultural de Parauapebas (CDC) será palco de uma grande programação em alusão ao Dia Nacional do Samba.

O Encontro dos Bambas vai para a sua quinta edição. Idealizado pela Escola de Samba Mocidade Independente do Primavera, o evento visa celebrar a data recordando canções clássicas e da atualidade por meio da apresentação dos artistas locais e convidados.
“É um momento de diversão para toda a família. É uma forma de valorizar este ritmo genuinamente brasileiro que contagia”, relata Raimundo Pinto, presidente da agremiação.


Pela primeira vez, o Encontro dos Bambas contará com o apoio direto da Liga das Agremiações dos Blocos e Escolas de Samba de Parauapebas e Região (LIABESPER). Para o presidente da entidade, Luis Bezerra, a ideia é envolver outros segmentos culturais do município.
“O objetivo principal é homenagear o samba, mas nada impede de contarmos com a presença do pessoal do teatro, dos grupos de carimbó, da capoeira, etc. Esta gestão da LIABESPR quer agregar, unir os movimentos culturais e proporcionar muita alegria”, destaca Luis.

A programação está prevista para iniciar ao meio dia e a expectativa da organização é que o CDC fique lotado. A entrada é franca, o público também não pagará nada para degustar do almoço que será serviço. O cardápio conta com feijoada, carne de sol e comidas típicas. Os presentes terão custo apenas com as bebidas.

PROJETO MOLEQUE BATUQUEIRO

Durante o 5º Encontro dos Bambas, será apresentado pela LIABESPER, o Projeto Moleque Batuqueiro, que visa ensinar crianças e adolescentes de bairros periféricos da cidade a tocar instrumentos, como: pandeiro, cavaquinho e tamborim, que são típicos do samba.

De acordo com Luis Bezerra, a liga busca firmar parcerias para possibilitar a concretização do projeto, uma delas será a Coordenadoria Municipal da Juventude (CMJ). Afinal de contas, a ideia é não deixar o samba morrer e um dos caminhos para que isso não ocorra é formando novos instrumentistas.
“Por meio do desenvolvimento de atividades culturais queremos oferecer condições para que os jovens não se percam por falta de oportunidade e estaremos fortalecendo ainda mais o movimento na cidade”, conclui Luis.

Reportagem: Anne Costa / Da Redação do Portal Pebinha de Açúcar

Publicidade

Veja
Também