Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Cesta básica custou cerca de R$ 302 no Pará em novembro

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Nos primeiros 11 meses do ano, o reajuste acumulado da cesta básica chegou a quase 2%. As informações do Dieese-PA (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) foram divulgadas na manhã desta terça-feira (9).

De acordo com o estudo do Dieese-PA, das 18 capitais pesquisadas pelo órgão, 12 apresentaram aumentos nos custos da cesta básica e seis apresentaram recuo de preço. Em Belém, a maioria dos produtos teve alta nos preços, com destaque para a carne, com reajuste de 4,23%; seguido do tomate, com aumento de 2,50%; e do leite com alta de 1,88%. Os produtos que tiveram quedas foram o feijão, com recuo de 6,18%; manteiga, com queda de 1,32%; e óleo de cozinha, com recuo de 0,63%. O estudo do Dieese também mostrou que o custo da cesta básica para uma família padrão paraense, composta de dois adultos e duas crianças, ficou em R$ 906,84, sendo necessários, portanto, cerca de 1,25 salários mínimos para adquirir os alimentos.


Em relação aos últimos 11 meses, os custos com a alimentação mostraram reajuste acumulado de 2%. Os produtos que apresentaram os maiores aumentos de preços foram a carne bovina, com reajuste de 20,71%; seguida do tomate, com alta de 6,65%; e da banana, com alta de 4,58%. Também no mesmo período, o feijão com queda de 32%; a farinha de mandioca, com queda de 28%; e o arroz, com redução de 4,61%, apresentaram recuo de preços. Nos últimos 12 meses, o reajuste acumulado da alimentação no Pará ficou em 2,10%. A carne bovina, com alta de 21,14%; seguida do tomate, com alta de 13,91%; e a banana, com alta de 3,23%, foram os grande svilões do período, que teve a inflação estimada de 6,33%.

Reportagem e foto: ORM News

Publicidade

Veja
Também