Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Cooperativa de Parauapebas quer transformar em móveis madeira não aproveitada pela Vale

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

O Projeto Madeira Legal, elaborado pela Cooperativa da Indústria Moveleira e Serradores de Parauapebas, pretende transformar em produtos de movelaria a madeira não reaproveitada pela empresa Vale, retirada da Floresta Nacional de Carajás (Flona).

Os objetivos do projeto foram apresentados na tarde da última quinta-feira (7), pelo presidente da Cooperativa, Sérgio Ferreira Barbosa Neto, e o secretário Municipal de Comércio e Indústria, Wander Nepomuceno, ao secretário Adnan Demachki , titular da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), em Belém.


“Um volume considerável de toras é perdido a cada ano em razão do não reaproveitamento’’, informou Sérgio Barbosa Neto. “Boa parte desse material apodrece sem cumprir função social nenhuma’’, acrescentou o secretário Wander Nepomuceno. Os dois estão empenhados na execução do projeto Madeira Legal para aumentar a produção das 93 unidades de movelaria existentes em Parauapebas, que mobilizam cerca de mil trabalhadores. A ideia foi buscar a intermediação do governo do Estado para viabilizar o projeto.

Sérgio Barbosa Neto (mais conhecido como Sergel), prevê a doação de 1.000 metros cúbicos de madeira por mês. “O material desperdiçado tem boas condições para o uso de móveis. São madeiras brancas, vermelhas e até nobres’’, frisou ele.

Adnan Demachki ressaltou a importância do projeto e disse que buscará apoio, inclusive na Vale, para efetivar a parceria. “O que está se perdendo, naturalmente, pode virar novos produtos. É emprego e renda que estão indo para o lixo’’, observou o secretário estadual.

Reportagem: Valéria Nascimento

Publicidade

Veja
Também