Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Detran intensifica repressão à venda ilegal de placas de veículos

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

A ação foi coordenada pela Coordenadoria do Núcleo de Segurança Orgânica e a Gerência do Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam), ambas do Detran, com o apoio da Ronda Ostensiva Tática Metropolitana (Rotam) da Polícia Militar.

Segundo o gerente do Renavam do Detran, Fernando Reis, a venda de placas de identificação de veículos automotores só pode ser feita por lojas credenciadas pelos departamentos de trânsito do país. “Há regulamentação para este comércio, e os interessados devem cumprir a legislação específica sobre o tema, antes de serem credenciados pelo Detran, ou seja, só podem receber a licença para funcionar os estabelecimentos que passaram pela vistoria que vai atestar se estão aptos ou não. As lojas irregulares causam uma série de problemas e prejuízos, principalmente aos usuários, além de não permitir que o Detran tenha o devido controle sobre a fabricação e venda de placas, o que facilita a ocorrência de fraudes”, explicou.


Durante a operação, duas empresas localizadas no conjunto Panorama XXI, próximo ao Detran, foram flagradas comercializando placas de forma irregular. “Apesar de ter sido alertada, uma dessas empresas não renovou o credenciamento junto ao Detran, que já havia enviado documentos sobre a necessidade de ser feita a regularização da loja. A outra empresa nem ao menos tinha cadastro”, frisou Fernando Reis. O coordenador da CNSO e comandante da operação, major PM Erick Miranda, disse que ações como esta serão feitas com maior frequência e de forma sistemática, com o objetivo de inibir o comércio ilegal de produtos exclusivos do Detran.

“O setor de inteligência já detectou algumas situações, que estão sendo investigadas. Conforme a apuração, outras operações serão desencadeadas”, afirmou Erick Miranda. A ação apreendeu dezenas de placas, já confeccionadas, que passarão por perícia, e matrizes para a confecção de outras, além de diversos equipamentos utilizados pelos estabelecimentos nesta atividade. Os responsáveis foram encaminhados à Seccional da Polícia Civil da Marambaia para prestar esclarecimentos.

Reportagem: Lene Alves

Publicidade

Veja
Também