Estudantes de escola pública em Parauapebas lançam livro “Amar”

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Na época em que escreveram o livro, as meninas cursavam o 9° ano, na Escola Municipal de Ensino Fundamental Olga da Silva.

Dois anos depois, já no Ensino Médio, elas se emocionam ao falar do trabalho: “Estamos muito felizes e agradecidas, realizando nosso maior sonho. Agradecemos a Deus, à nossa professora Andréa, que lutou pela gente, ao Paulo Poeta, que nos ajudou a registrar o livro como uma obra literária e, principalmente, à Juliana de Souza, que acreditou em nosso sonho e fez com que ele se tornasse realidade”, declararam.


A professora lembra como tudo começou. “Iniciamos o projeto com todos os alunos das duas turmas que eu ministrava as aulas, mas com o passar do tempo as meninas se destacaram. Estou muito feliz em poder estar participando desse momento único na vida delas. Agradeço todo apoio que a Semed nos deu, sem esse apoio, nada disso teria acontecido”, disse.

A secretária municipal de Educação, Juliana de Souza, parabenizou a iniciativa da professora de português, agradeceu as autoras pelo trabalho e ressaltou a importância da parceria com a Academia Parauapebense de Letras, que ajudou a seguir o caminho para a publicação. “Conseguimos a impressão de 1000 exemplares, que serão distribuídos em todas as escolas da rede municipal. Estamos todos muito felizes com o lindo trabalho desenvolvido pelas alunas”, concluiu.

O lançamento do livro, que também foi ilustrado por alunos da rede pública municipal de ensino,é um marco não só para a vida das adolescentes, mas também é um momento representativo para a gestão do prefeito Valmir Mariano. Um símbolo do compromisso com uma educação de qualidade para as crianças de Parauapebas.

Tarde de autógrafos

Logo após o lançamento do livro, as autoras autografaram os livros do público presente. Participaram da cerimônia a secretária municipal de Educação, Juliana de Souza, o jornalista e representante da Academia Parauapebense de Letras, Waldyr Silva, o diretor da Escola Olga da Silva, Weliton Carreiro, e a professora de português e orientadora do livro “Amar”, Andréa Araújo.

Publicidade

veja também