Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Familiares dão o último adeus ao médico vítima de Covid-19 em Parauapebas

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Tristeza e dor marcaram o último adeus ao médico Carlos Augusto Estorari, de 48 anos de idade, que atualmente atuava como plantonista no Hospital Municipal de Parauapebas (HMP), Hospital Geral de Parauapebas (HGP) e no Hospital das Clínicas de Parauapebas (HCP).

O médico percebeu os sintomas da Covid-19 (Coronavírus), foi internado no dia 6 de abril, infelizmente teve uma piora, vindo a morrer nesta quinta-feira (16) na UTI Intensicare, localizada no Bairro Rio Verde, em Parauapebas.


Em uma cerimônia rápida e com pouco número de pessoas, respeitando o protocolo de sepultamento para pessoas vítimas da Covid-19, Carlos Augusto Estorari foi enterrado no final da tarde de hoje no Cemitério Jardim da Saudade em Parauapebas.

Protocolo de sepultamento
De acordo com determinação do Ministério da Saúde, os falecidos devido à COVID-19 podem ser enterrados ou cremados, mas os velórios e funerais de pacientes confirmados ou suspeitos da doença, que juntem muitas pessoas em um ambiente fechado, não são recomendados. Neste caso, o risco de transmissão também está associado ao contato entre familiares e amigos.

Por isso, a cerimônia de sepultamento deve ocorrer em lugares ventilados e, de preferência, abertos. Além disso, a recomendação é que contem com no máximo 10 pessoas, respeitando a distância mínima de, pelo menos, dois metros entre elas, bem como outras medidas de isolamento social e de etiqueta respiratória. Essa recomendação deverá ser observada durante os períodos com indicação de isolamento social ou quarentena pelo gestor local ou federal.

Durante todo o velório o caixão deve permanecer fechado para evitar qualquer contato com o corpo. O protocolo recomenda ainda que seja evitada a permanência de pessoas que pertençam ao grupo de risco: idade igual ou superior a 60 anos, gestantes, lactantes, portadores de doenças crônicas e imunodeprimidos. Além disso a presença de pessoas com sintomas respiratórios também deve ser evitada como, por exemplo, febre e tosse.

Publicidade

Veja
Também