Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Feirantes acusam presidente de associação de vender espaços em novo Centro de Abastecimento

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Uma manifestação feita pelos trabalhadores da Feira do Produtor, realizada na tarde desta sexta-feira (10), interditou parte da Rua “13” no sentido à Rodovia Faruk Salmem. A intenção dos manifestantes é de chamar a atenção do Poder Público de Parauapebas reivindicando um lugar adequado para o remanejamento dos trabalhadores, tendo em vista que parte deles foi cadastrada e será transferida para o novo Centro de Abastecimento de Parauapebas (CAP), que começa a funcionar neste final de semana.

Francisca Souza da Costa tem 54 anos de idade, nove deles trabalhando na feira. “O que precisamos é de um lugar melhor, querem nos colocar ao lado da Sempror (Secretaria Municipal de Produção Rural), mas o local não tem a menor estrutura, nem cobertura e banheiros sequer. Somos cidadãos de bem, é daqui é tiramos o nosso pão de cada dia”, explicou a feirante.


No mês de maio foi inaugurado o Centro de Abastecimento de Parauapebas (CAP) que deveria comportar os vendedores, mas o local não tem espaço para abrigar todos os cadastrados nas três cooperativas e três associados ligados à classe.

Os feirantes acusaram o presidente da Associação dos Microempreendedores Individuais de Parauapebas (AMIVAP), Reginaldo Guimarães Ribeiro de vender pontos dentro do CAP para pessoas que nunca trabalharam na feira.

A equipe de reportagem do Portal Pebinha de Açúcar entrou em contato com Reginaldo, e por telefone ele negou a denúncia e se colocou à disposição para possível investigação. “Eles estão é com inveja de mim porque não sabem trabalhar, não são organizados. Nunca peguei dinheiro de ninguém da feira, eu tenho moral e minha associação também”, rebateu.

Ainda na tarde de ontem, os peixeiros que trabalhavam na feira começaram a mudança para o CAP de forma aceitável e ordeira. O presidente da Cooperativa dos Feirantes de Parauapebas (Coofepar), Junior dos Santos Soares, que recebeu os pontos dentro do Centro disse que essa foi a melhor alternativa para todos. “Essa feira já está muito velha e tem muita sujeira, as condições de higiene aqui não são adequadas”, disse Junior.

Já o presidente da Cooperativa dos Feirantes da Área Externa da Feira do Produtor (Cooperfeira), Reginaldo Carvalho Mendonça não aceita a remoção para a área alugada sob a alegação de que os custos do local são altos por não ser um espaço público. “Só aceitamos sair daqui se for para uma área que tenha a estrutura que precisamos”, reivindicou.

O protesto seguiu de forma pacifica até o final da tarde. Agentes do Departamento Municipal de Trânsito e Transporte (DMTT) e das polícias Civil e Militar comparecem ao local para garantir a segurança. Nenhum caso de violência e depreciação foi registrado.
Os feirantes ameaçam protestar na frente da Prefeitura de Parauapebas ainda hoje caso nenhum secretário, responsável ou o próprio prefeito não os procure para dá explicações e negociar o caso.

Outro lado

Em nota, a Prefeitura Municipal de Parauapebas afirmou que: “Nesta sexta-feira (11), a Prefeitura de Parauapebas inicia a transferência dos feirantes da conhecida Feira do Produtor para o Centro de Abastecimento de Parauapebas (Cap), localizado na Estrada Faruk Salmen. No sábado (12), a feira estará funcionando no novo espaço.
Com dois pavimentos, o Cap possui mais de 300 pontos comerciais, sendo 200 destinados aos produtores rurais para venda de hortifrúti; 67 boxes para vendas de peixes, carnes, frango; 42 salas para lojas de artesanato, lanchonetes, salão de beleza, casa lotérica, farmácia entre outros segmentos. Ele ainda conta com um amplo estacionamento e acessibilidade para cadeirantes.
Os feirantes que trabalham na área externa da Feira do Produtor também serão remanejados, mas a mudança está prevista para a próxima semana. A Prefeitura alugou uma área com mais de 10 mil m², e capacidade para receber mais de 500 ambulantes. A área que fica próximo ao Cap recebe infraestrutura básica como esgoto, água, banheiro e sinalização. Cada feirante terá uma espaço de 9m² para desenvolver suas atividades.

Reportagem e foto: Stéfani Ribeiro – Da Redação do Portal Pebinha de Açúcar

 

Publicidade

Veja
Também