Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Fiscais do Inmetro são presos em flagrante pela Polícia Civil de Parauapebas

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

A delegada de Polícia Civil Yanna Azevedo deflagrou nesta quarta-feira (9) a Operação “Selo de Qualidade” e desmontou um esquema criminoso de extorsão tendo como alvos agentes do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (INMETRO).

A delegada Ana Carolina foi solicitada para prestar apoio na operação que colocou atrás das grades João Gualberto da Cunha e Silva e Marinaldo Benevides Lopes, presos em flagrante.


De acordo com a delegada Ana Carolina, os fiscais estavam extorquindo proprietários de postos de combustíveis e conta como a operação foi deflagrada. “Primeiro fomos em um posto localizado na PA-160, mas os agentes já tinham passado por lá e levado a quantia de R$ 800 e estariam nos postos próximos. Foi então que avistamos eles no posto da Petrobrás e efetuamos a prisão”, detalha a ação, acrescentando que com os acusados foi encontrada uma quantia superior a R$ 2.500,00, além de selos e lacres do Inmetro.

As suspeitas apontam que os donos de postos de combustíveis estariam sendo pressionados a pagar valores em dinheiro exigidos pelos acusados, mesmo estando com as atividades regulares. “Os fiscais coagiam os proprietários e gerentes de postos sob a ameaça de que se a quantia exigida não fosse paga, eles criariam motivos para fechar os postos, aplicar multas e impedir que eles continuassem trabalhando”, conta a delegada.

Ana Carolina declara ainda que a preocupação maior é em relação aos pontos que estão irregulares na aferição das bombas de combustível e mediante pagamento de propina era emitido o certificado do órgão fiscalizador. “Eles não faziam o trabalho deles de forma correta porque o intuito era apenas exigir dinheiro”, enfatiza.

Ainda de acordo com a autoridade policial, as investigações continuam para desvendar mais detalhes desta ação criminosa que vinha sendo executada em Parauapebas.

Reportagem: Stéfani Ribeiro – Da Redação do Portal Pebinha de Açúcar

Publicidade

Veja
Também