Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Fiscalização de estacionamentos privados causa polêmica em Parauapebas

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

“Mesmo sendo no interior de uma empresa privada, os estacionamentos usados por clientes são também de responsabilidade do Departamento de Trânsito, que pode atuar e autuar de acordo com o Código Brasileiro de Trânsito”, orientou Glauber Mota, coordenador Departamento Municipal de Trânsito e Transporte de Parauapebas (DMTT).

Ação como esta foi realizada no estacionamento do Mix Mateus, empresa do segmento de supermercado na modalidade atacado e varejo; ato que gerou polêmica, principalmente para quem desobedece às leis de trânsito, ocupando vagas preferenciais como, por exemplo, para deficientes ou idosos.


Um internauta se manifestou destacando sua opinião, sobre o assunto. “Escutei muita barbaridade do tipo: “Onde já se viu, fiscalizar área particular, ou coisas como: Deveriam cuidar mais da cidade; além de ver muitos surpresos e enfurecidos com a fiscalização feita pelo DMTT no estacionamento do Mix Mateus em relação as vagas exclusivas e reservadas”.

O internauta que se identificou ao Pebinha de Açúcar como Marcelo Alves Vieira, chama os populares para uma reflexão e enfatiza que no momento que um cidadão se sente no direito de invadir uma vaga que não lhe é direito, o poder público deve agir.

Marcelo frisa ainda, com tristeza, que no dia-a-dia, o desrespeito ao direito dos outros é muito comum, e sempre cheio de “boas” justificativas, “e não nos damos conta que não depende das regras de trânsito e nem do poder público para respeitarmos o direito do outro. É só nos colocarmos no lugar do outro e vamos ver que desculpa alguma caberia para justificar”, ilustra o internauta, dizendo ter registrado vagas de idoso e de cadeirante sendo respeitadas após a fiscalização do DMTT no Mix Mateus, por exemplo.

Por sua vez, o DMTT afirma que continuará fazendo este trabalho de regulamentar as normas do trânsito, impedindo que direitos de pessoas em condição de prioridade sejam desrespeitados, mesmo em estacionamentos privados.

Segundo o coordenador do órgão fiscalizador, Glauber Mota, não basta apenas ser idoso para ocupar a vaga reservada, é necessário que se tenha a carteirinha que é emitida pelo DMTT ou do deficiente, que deve ser emitida pela respectiva entidade representativa.

Reportagem: Francesco Costa / Da Redação do Portal Pebinha de Açúcar

Publicidade

Veja
Também