Fisioterapeuta de Parauapebas oferece serviços de ozonioterapia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Alessandra Resende atua em Parauapebas há 20 anos

A equipe de reportagens do Portal Pebinha de Açúcar traz nesta matéria especial uma técnica complementar, praticada por profissionais da área saúde, como fisioterapeutas. A técnica vem sendo usada em todo o mundo e trazendo excelentes resultados. Trata-se da ozonioterapia, que também é bastante usada nos pós-operatórios imediatos, para melhorar a perfusão e cicatrização sanguínea.

Ficou curioso?


Conversamos com Alessandra Resende, uma experiente fisioterapeuta integrativa, dermatofuncional, especialista em pós-operatório e ozonioterapia.

Formada em dezembro de 1998 em Patrocínio-MG, a profissional atua há 20 anos em Parauapebas e atende no Espaço Alessandra Resende, que fica localizado na Avenida Ana Karina, número 52, Bairro W. Torres. Mais informações podem ser obtidas através do telefone (94) 98809-0335 ou do E-mail: [email protected].

Mas voltando ao assunto ozonioterapia, Alessandra Resende trabalha com essa técnica em Parauapebas desde 2019. Sabe o que é? Não? A gente te explica!

Mas antes, vale ressaltar que a técnica da ozonioterapia é regulamentada pelo Ministério da Saúde através da Portaria 702, de 21 de março de 2018

A ozonioterapia é uma terapia médica que consiste em administrar o ozônio no corpo, que é um gás composto por 3 átomos de oxigênio (O3), pois ajuda a melhorar a oxigenação dos tecidos, a aumentar a resposta do sistema imunológico a doenças infecciosas como feridas infectadas ou HIV, e ajudar a aliviar a dor crônica causada pela artrite reumatóide ou fibromialgia, por exemplo.

A administração do ozônio deve sempre ser realizada por um profissional de saúde, como fisioterapeuta, podendo ser aplicado por injeção direta no músculo, entre as vértebras ou nas articulações, além da insuflação retal, vaginal ou bucal. Além disso, a ozonioterapia pode ser realizada através da auto-hemotransfusão, em que se retira o sangue da pessoa, adiciona-se ozônio nesse sangue e, em seguida, faz-se a transfusão do sangue ozonizado.

Embora seja uma terapia segura e com poucos efeitos colaterais, a ozonioterapia é indicada somente como um tratamento alternativo para auxiliar no combate a doenças crônicas, e não substitui o tratamento médico convencional.

Para que serve?
A terapia com ozônio funciona aumentando a quantidade de oxigênio nos tecidos e interrompendo processos não saudáveis no corpo, como o crescimento de bactérias patogênicas se houver uma infecção, ou impedindo alguns processos oxidativos, podendo por isso ser usado para auxiliar diversos problemas de saúde:

1. Problemas respiratórios
A ozonioterapia pode ser usada para auxiliar no tratamento de problemas respiratórios como asma, bronquite ou DPOC( doenças pulmonares obstrutivas crônicas) por exemplo, pois promove a entrada de maior quantidade de oxigênio no sangue e nos tecidos corporais, reduzindo o estresse nos pulmões e ajudando a aliviar os sintomas como falta de ar, por exemplo.

Alguns estudos mostram que a aplicação do ozônio na veia ou a injeção de ozônio misturado com sangue feita através da auto-hemotransfusão, pode ajudar a melhorar a qualidade de vida e a capacidade de realização de atividades físicas em pessoas com DPOC.

 

2. Doenças autoimunes
A ozonioterapia pode trazer benefícios para pessoas com o sistema imunológico debilitado e ajudar no tratamento de doenças autoimunes como esclerose múltipla, artrite reumatoide, ou miastenia graves, por exemplo, pois o ozônio melhora a circulação sanguínea, ativa enzimas antioxidantes e reduz os danos nas células causados pelos radicais livres.

Desta forma, a ozonioterapia estimula e reforça o sistema imunológico, melhorando a sinalização entre as entre as células durante o desencadeamento das respostas imunes, o que ajuda no tratamento de doenças autoimunes. Veja outras formas de aumentar a imunidade.

3. Tratamento da infecção pelo HIV
Um estudo mostrou que a ozonioterapia, principalmente quando feita através da auto-hemotransfusão, pode ajudar a reduzir a carga viral em pessoas com HIV, o que significa menos vírus presente no corpo, o que pode ajudar a melhorar a saúde a longo prazo.

Isto ocorre porque o ozônio tem ação antimicrobiana e ajuda a melhorar a ação do sistema imunológico, o que pode ser uma opção de tratamento complementar para a infecção pelo HIV.

É importante ressaltar que a ozonioterapia pode ser feita para auxiliar o tratamento da infecção pelo HIV, e não trata e nem cura a infecção pelo vírus, não substituindo o tratamento médico convencional. Veja como é feito o tratamento da infecção pelo HIV.

4. Tratamento do câncer
Alguns estudos mostram que a ozonioterapia pode ajudar a auxiliar no tratamento do câncer, por reduzir os efeitos colaterais da quimioterapia ou radioterapia como cansaço excessivo, náuseas, vômitos, mucosite ou queda de cabelo, por exemplo, melhorando o bem-estar físico e mental e resultando em melhor qualidade de vida.

Além disso, a terapia com ozônio pode ajudar a melhorar a eficácia do tratamento do câncer de cólon por inibir citocinas, substâncias responsáveis por estimular o crescimento de células cancerígenas e causar resistência à quimioterapia.

No entanto, ainda são necessários mais estudos para a utilização da ozonioterapia como forma de tratamento auxiliar no combate ao câncer.

 

5. Tratamento de infecções
A ozonioterapia também pode ser utilizada para ajudar no tratamento de feridas infectadas ou doenças infecciosas da pele causadas por bactérias, vírus, fungos ou parasitas, como herpes zoster, abcessos ou frieira, por exemplo, pois o ozônio pode inibir o crescimento celular e aumentar a ativação do sistema imunológico para combater infecções.

Alguns estudos mostram que o ozônio tem ação contra as bactérias Acinetobacter baumannii, Clostridium difficile e Staphylococcus aureus, além do fungo Candida , responsável por causar candidíase vaginal ou intestinal.

Além disso, a ozonioterapia também tem sido usada na odontologia, para auxiliar no tratamento e na prevenção de cáries dentárias. Saiba como identificar e tratar uma cárie dentária.

6. Complicações da diabetes
A ozonioterapia também pode ajudar a reduzir o risco de complicações da diabetes, como úlcera do pé diabético ou problemas de cicatrização da pele, pois possui ação antioxidante, reduzindo o estresse oxidativo no corpo, além de melhorar a circulação sanguínea, ativar o sistema imunológico e reduzir a inflamação nos tecidos.

Um estudo mostrou que a ozonioterapia, em pessoas com úlceras do pé diabético, ajuda a fechar a ferida de forma mais rápida e a reduzir o risco de infecção na pele.

7. Doenças osteomusculares
A ozonioterapia pode auxiliar no tratamento de doenças osteomusculares como osteoartrite, bursite, síndrome do túnel do carpo, hérnia de disco ou distúrbio da articulação temporomandibular, por exemplo, pois tem ação antioxidante, anti-inflamatória e analgésica, além de melhorar a circulação sanguínea nos ossos e cartilagens, ajudando a reduzir a dor crônica causada pelo desgaste ou inflamação das articulações.

Um estudo mostrou que a aplicação do ozônio diretamente nas áreas afetadas, pode ajudar a reduzir significativamente a dor causada por doenças osteomusculares e melhorar a qualidade de vida.

Além disso, alguns estudos mostram que a ozonioterapia também pode ser usada para aliviar a dor crônica causada pela fibromialgia.

8. Quando não deve ser usado
A ozonioterapia não deve ser feita em mulheres grávidas ou em amamentação, em pessoas com infarto agudo do miocárdio, hipertireoidismo não controlado, ou problemas sanguíneos, especialmente trombocitopenia.
Outra contraindicação é quando existe a deficiência da enzima Glicose-6-Fosfato Desidrogenase (G6PD), conhecida como favismo, em função do risco de hemólise.

Ficou interessado, né? Faça uma visita ao Espaço Alessandra Resende, que fica localizado na Avenida Ana Karina, número 52, Bairro W. Torres. Mais informações podem ser obtidas através do telefone (94) 98809-0335 e do E-mail: [email protected].

veja também