Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Garimpeiros ameaçam ocupar a região Serra Pelada

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Membros da Agaspema (Associação Interestadual da União dos Garimpeiros de Serra Pelada) se reuniram na última terça-feira (2) com representantes da empresa Vale para tratar dos direitos sobre a região de Serra Pelada, localizada na cidade de Curionópolis. De acordo com Juarez Matos Leal, presidente licenciado da associação, caso não haja negociação com a empresa ou com o governo federal, os garimpeiros vão ocupar a Serra.

Juarez informou que em outro encontro, no dia 2 de junho, com representantes da Vale foi entregue um documento direcionado ao presidente da empresa que pedia a negociação dos direitos sobre o território de Serra Pelada. “Nós resolvemos negociar os nossos direitos, porque já estamos cansados de lutar tantos anos sem êxito e não concordamos que entrem empresas lá”, confirmou. Ele ainda criticou a Coomigasp (Cooperativa de Mineração dos Garimpeiros de Serra Pelada), dizendo que ela não representa os garimpeiros.


Edvaldo Braga, responsável pela área de relacionamento com a comunidade no sudeste do Pará, informou que a Vale não possui interesse em trabalhar com ouro ou qualquer tipo de operação neste sentido. “Não temos também nenhuma parceria com empresas que trabalham com ouro. Por exemplo, em Serra Pelada tinha a Colossos que explorava ouro e a Vale nunca teve nenhuma parceria com essa empresa”, garantiu.

Ele ainda acrescentou que a mineradora está focada na construção do projeto S11D e do ramal ferroviário, nos quais alega estar investindo R$19 bilhões. Braga também leu a resposta do Gerente Executivo de Relações com a Comunidade Norte, João Coral, ao documento repassado pelos garimpeiros. Na carta-resposta ele informa que a Vale não tem interesse na exploração de ouro em Serra Pelada e que já foi repassado o direito minerário sobre 100 hectares para a Cooperativa de Garimpeiros.

Após esta resposta, o presidente licenciado, que conduziu toda a reunião, entregou um documento ao representante da Vale, para que a empresa seja intermediária no processo de negociação entre garimpeiros e governo federal. No documento direcionado ao presidente da Vale, Murilo Ferreira, há também exigência da retirada de acusações contra a Agaspema feitas pela empresa.

Juarez confirmou ainda que caso não haja parceria com nenhum órgão e se a Vale não fizer esta intermediação, que os garimpeiros ocuparão a Serra e não vão deixar que operações sejam realizadas no local. Gilson Dias, diretor do conselho fiscal da Coomigasp, afirmou que a área, de fato, não pertence à Vale e que o único vínculo que mantem com a empresa é social, para dar suporte à comunidade de garimpeiros que vive na região.

Ele ainda disse que a atual diretoria luta para buscar meios de se manter e de defender os direitos da classe, visto que foi deixado um rombo pela gestão passada. Além disso, rebateu as críticas e afirmou que muitos garimpeiros não buscam a cooperativa. “Como então podem saber a real situação da entidade”, criticou, informando também que a cooperativa não foi avisada sobre a reunião.

Reportagem: Nathália Viegas / Grupo Correio de Comunicação

Publicidade

Veja
Também