Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Garotinha Sophia Lopes não morreu de febre maculosa, diz exame específico

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Foi no dia 28 de abril, uma quinta-feira, que Shophia Lopes de Almeida foi picada por um carrapato no rosto e o mesmo foi removido rapidamente pela sua mãe que, imediatamente, limpou o local com álcool e tudo ficou normal.

Depois de sentir febre e passar por hospitais em Parauapebas sem encontrar solução para o problema, o destino da pequena paciente foi Belém do Pará, onde chegou ao amanhecer de sábado, 6 de maio, mas antes do meio dia, a triste notícia foi dada à família: Sophia havia tido morte encefálica; o que para a medicina é quadro irreversível.


A morte encefálica levou ao diagnóstico de meningite; e na terça-feira, 9 de maio, a morte da pequena Sophia foi confirmada.

O caso ganhou repercussão nas redes sociais e familiares da criança estavam munidos de laudos, inclusive atestado de óbito que atribuíam a causa da morte a febre maculosa. Porém o impasse chega a um novo capítulo com um novo exame feito por laboratório de referência nacional sob garantias da Vigilância em Saúde da Sespa (Secretaria de Estado de Saúde), onde o caso foi considerado descartado para febre maculosa, visto que o exame específico realizado deu negativo tanto para febre maculosa, quanto para várias doenças investigadas, entre elas leptospirose e meningite.

Por aplicativo de mensagem instantânea, a família de Shophia Lopes de Almeida disse que, diante deste resultado, ficam apenas as perguntas: “Os médicos erraram? Todos os hospitais erraram? Mataram a Sophia por diagnóstico errado…?”.

Nota da Secretaria Municipal de Saúde de Parauapebas

“Sobre o caso de Sophia Lopes de Almeida, de dois anos, falecida em Belém, em 9 de maio deste ano, a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) informa que embora o laudo preliminar emitido pela Vigilância em Saúde da Secretaria de Estado de Saúde (Sespa) tenha descartado morte por febre maculosa, a Semsa somente irá se pronunciar oficialmente sobre o caso em cerca de 60 dias, quando o resultado do exame de contraprova, cuja amostra foi enviada pela Sespa à outro laboratório especializado, será divulgado.

A Secretaria Municipal de Saúde garante que todo o caso está sendo acompanhado por sua equipe de Vigilância em Saúde, mas esclarece que a responsabilidade pelo caso é da Secretaria de Estado de Saúde, já que a menor veio a óbito na capital do estado”.

Reportagem: Francesco Costa / Da Redação do Portal Pebinha de Açúcar

Publicidade

Veja
Também