Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Governo limita a 100 o número de pessoas em eventos no Pará

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

O governador Helder Barbalho endureceu ainda mais as medidas para evitar aglomerações no estado como forma de combater a proliferação do novo coronavírus, que até esta sexta-feira (27) já infectou 16 pessoas no Pará.

Em decreto publicado no Diário Oficial do Estado, foi determinada a limitação de 100 pessoas no máximo em eventos públicos ou privados. Até então, era permitida a reunião de até 500 pessoas, em decreto anterior do governo estadual.


Helder Barbalho argumentou que o comércio segue aberto assim como as lotéricas, e serviços essenciais à população, a exemplo de supermercados farmácias laboratórios, argumentando que não há motivo de as pessoas irem às em manifestações, conforme vêm sendo mobilizado por alguns internautas na ambiência da internet e através de aplicativos nas redes sociais.

“Tivemos o bom senso de não estabelecer uma quarentena generalizada dentro do nosso Estado, portanto, se não há a proibição do comércio e indústria funcionam não há necessidade de manifestação. A troco de quê se quer estimular o caos? Querem que a população volte às ruas e com isso se expor ao contágio? Para que isso? indagou o governador.

Ele disse que estão proibidas manifestações públicas, carreatas e passeatas e quem agir dessa forma estará incorrendo em ilegalidade e terá a atuação da Polícia Militar, que já está orientada a agir de modo adequado. O governador reforçou a necessidade de todos os cidadãos terem consciência para contribuirem com o momento delicado, do melhor modo possível.

O governador também comunicou a disponibilidade do Disque Denúncia (181) por aplicativo de mensagens instantâneas, a fim de os cidadãos possam contribuir com os órgãos de segurança pública, denunciando de forma anônima situações para investigações por parte dos agentes policiais.

Na próxima terça-feira, 31, dia em que termina a suspensão das aulas na rede pública de ensino estadual, o governo avaliará a volta ou não das aulas.

Publicidade

Veja
Também