Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Guarda Municipal se prepara para negociações com novo Secretário de Segurança

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Com abertura de diálogo previsto para a próxima semana, quando o Secretário Municipal de Segurança Institucional e Defesa do Cidadão, Wanterlor Bandeira, receberá a comissão que representará os agentes da Guarda Municipal de Parauapebas, e na oportunidade, será recebida a pauta para avaliação dos pontos e posterior avaliação do governo, vários guardas municipais se reuniram na noite desta quarta-feira, 25, com o objetivo de criar comissão que os representará na mesa de negociação.

As cobranças não são novas, e pela falta de respostas do ex-titular da SEMSI, a corporação está aquartelada há pelo menos 40 dias. A crise foi responsável pela queda do então secretário titular da segurança municipal, Michael J. Correa Gomes, agora sucedido por Wanterlor Bandeira, que vem com a missão de solucionar, ou pelo menos dirimir, os problemas existentes.


A categoria é representada pelo SINSEPPAR – Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Parauapebas, presidido por Carlos Alessander, que coordenou a reunião e a escolha da comissão.
Após a reunião, a equipe de reportagens do Portal Pebinha de Açúcar conversou com um dos componentes da comissão que representa a Guarda Municipal, trata-se do GM Domingos, este passou a detalhar os pontos indispensáveis na pauta que precisarão ser acordados e constar em TAC – Termo de Ajuste de Conduta, para que a tropa volte às ruas.

São eles:

• Mudança na escala de trabalho, que antes eram 12 horas trabalhadas, por 48 de descanso; A proposta dos servidores é que sejam 12 horas trabalhadas para 60 de descanso.
• Turno de trabalho apenas das 7h30 às 19h30, enquanto não for dado aparato de trabalho adequado aos GM’s.
• Adicional de Risco de Morte tramitado e aprovado na Câmara Municipal até o final deste ano.
• Curso do uso de Tonfa.
• Aquisição dos equipamentos de segurança como, por exemplo, coletes balísticos, rádios de comunicação, sprays de pimenta, algemas, armas não letais e aumento no número de viaturas.

Reportagem: Francesco Costa / Da Redação do Portal Pebinha de Açúcar

Publicidade

Veja
Também