Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Índios devem ficar acampados até esta quinta-feira (11) na Prefeitura de Parauapebas

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

“A palavra apenas não vale. Continuaremos aqui até ter certeza de que as máquinas estão lá fazendo a estrada que o prefeito prometeu”.
São afirmações do cacique Bepkrokroti, feitas logo após ter saído da reunião com o governo municipal em que se fez presente o prefeito Darci Lermen e o secretário municipal de Obras Wanterlor Bandeira.

O caso iniciado na noite de ontem (9), quando indígenas das etnias Kayapó e Xikrin ocuparam o prédio da Prefeitura Municipal de Parauapebas, pedindo reunião com o prefeito para definir o início de diversas obras prometidas por ele, sendo a principal delas a abertura da estrada que interliga as três aldeias com os municípios de Água Azul do Norte, Ourilândia do Norte e Tucumã. A reunião de fato aconteceu durando praticamente toda a manhã de hoje, quarta-feira, 10, tendo como resultado a promessa de que amanhã (11) as máquinas estarão no local da obra.


Mesmo com a palavra do secretário de obras e do prefeito, os indígenas continuam no local com barracas de camping dentro da prefeitura, o que impossibilita o acesso de servidores e de usuários, o que deverá durar até a confirmação do início das obras.

Além da abertura da estrada, a implantação de provedor de internet nas aldeias e o convênio com instituto para assistir a comunidade indígena em educação e cultura, são pontos de pauta que os caciques dizem não abrir mão. “As demandas foram encaminhadas para o governo no dia 13 de fevereiro e algumas não foram cumpridas. O mais importante é a estrada para as aldeias, por isso viemos fazer a manifestação para que o prefeito dê a posição para a gente. Agora, o prefeito prometeu a entrada das máquinas e continuaremos aqui aguardando”, afirma o chefe indígena, dizendo que a promessa da instalação da internet venceu hoje, e no máximo em 10 dias farão outra manifestação para que seja cumprida.

O secretário de obras Wanterlor Bandeira, confirmou em entrevista que tudo está acontecendo dento do cronograma do governo e que a estrada já está sendo feita e já se aproxima da aldeia Oojã. “Desde o dia 3 de junho iniciamos os trabalhos, já tendo feito 45 quilômetros de encascalhamento, 35 quilômetros de abertura e limpeza de estradas e pista de aviação e da aldeia”, detalha Wanterlor Bandeira, contando que agora enviarão mais equipamentos para acelerar os trabalhos.

O secretário datou amanhã, dia 11, às 10 horas, como prazo para que sejam mandadas mais máquinas para acelerar os trabalhos e também para ocorrer a assinatura do convênio de repasse de recursos para atividades educacionais e culturais nas três aldeias. Mas, enquanto isso não acontece, o prédio público continua ocupado pelos indígenas.

 

A além da entrevista do secretário de Obras, a Assessoria de Comunicação da Prefeitura Municipal de Parauapebas (Ascom) enviou nota à redação do Portal Pebinha de Açúcar contando os detalhes do acordo alinhavado na reunião entre indígenas e o governo. Confira a nota na íntegra:

“Na manhã desta quarta-feira (10) o prefeito de Parauapebas, Darci Lermen, acompanhado dos secretários municipais, está reunido com os índios da aldeia Djudjêkô que reivindicam obras de infraestrutura na estrada de para a aldeia e a conclusão do convênio com o Instituto Indígena Botiê Xikrin, que prevê repasse de verba da prefeitura para atividades sociais e culturais dos indígenas, entre elas a realização dos jogos indígenas que ocorrerão entre os dias 20 e 26 de julho.

As obras em questão foram iniciadas no início de junho, na aldeia Kateté, e atenderão todas as quatro aldeias indígenas, localizadas no município de Parauapebas. Conforme o cronograma da Secretaria Municipal de Obras (Semob) os serviços específicos para a aldeia Djudjêkô estão programados para a próxima segunda-feira (15). O prefeito e o secretário de Obras visitarão a localidade para acompanhar de perto os serviços.

Sobre o contrato para o convênio com o instituto, a documentação foi protocolada na prefeitura de Parauapebas na semana passada. Desde que a gestão recebeu a documentação do instituto, tem dado toda a celeridade possível nos trâmites legais para firmar o convênio. Ficou acordado na reunião de hoje que os indígenas ficarão até amanhã, no prédio da prefeitura, para a de assinatura do contrato, que ocorrerá às 10h da manhã.

O município de Parauapebas conta com quatro aldeias indígenas, localizadas na divisa com o município de Água Azul do Norte. A prefeitura de Parauapebas sempre deu todo o apoio necessário aos indígenas, inclusive com a construção e manutenção de escolas dentro das aldeias e disponibilidade de profissionais e estrutura para atendimentos de saúde”.

Publicidade

Veja
Também