Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Mais de 400 quilômetros de estradas são recuperados na zona rural

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Dando prosseguimento à recuperação das estradas vicinais na zona rural do município, a Prefeitura de Parauapebas, por meio da Secretaria Municipal de Obras (Semob), executa serviços de limpeza, recuperação das estradas e reabertura de vias que se encontravam com a vegetação avançada nas vilas Sanção, Valentim Serra e na área do eixo Itacaiúnas e Beiradão.

De acordo com os moradores, essas localidades passaram cinco anos sem receber qualquer tipo de manutenção, fazendo com que a vegetação crescesse e algumas vicinais deixassem de existir, dificultando o acesso.


“Ficamos cinco anos sem receber melhorias das estradas. Uma estrada boa é tudo pra nós porque dependemos dela para trabalhar e chegarmos mais cedo em casa. Agora está ficando muito bom o trabalho da prefeitura”, avalia a moradora do Beiradão, Betânia Nascimento.

Para colocar a manutenção dessas estradas em dia, a prefeitura utiliza maquinários como trator de esteira, pá carregadeira para a remoção de terras e entulhos, retroescavadeira para desobstrução de bueiros e reconstruções de pontilhões, caminhões para o transporte de cascalho e motoniveladora para, após a reabertura das vias, promover o nivelamento no terreno.

Segundo a Semob, em toda a zona rural mais de 400 quilômetros de estradas já foram recuperados, inclusive em áreas indígenas. O serviço que iniciou em janeiro atenderá todas as áreas.

“Estávamos sofrendo muito com as péssimas condições das estradas, mas graças a Deus está bem melhor. Espero que continue assim. Antes eu levava uma hora para chegar até a cidade, agora consigo chegar em 30 minutos”, relata o morador Fábio Nascimento da Vila Valentim Serra, que precisa vender seu produto no centro comercial de Parauapebas.

A Semob também colocou manilha em caráter emergencial no acesso da Vila Sanção ao Beiradão, para substituir uma ponte de madeira que estava deteriorada. Contudo, será preciso recuperar a ponte já que o paliativo atende apenas nesse período de seca, uma vez que o volume do rio é gigantesco no período chuvoso, serviço que aguarda a finalização do processo licitatório para a construção das pontes de concreto.

“Com a manutenção periódica nas estradas, esperamos para os próximos anos a redução nos custos, mantendo as mesmas sempre em boas condições, garantindo aos produtores da região acesso e escoamento seguro para seus produtos. Nosso objetivo é atender toda a zona rural, pois sabemos a importância dessas estradas”, diz a secretária de Obras, Silvana Faria.

Reportagem: Liliane Diniz

Publicidade

Veja
Também