Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Matou vigilante, roubou colete, arma e levou orelha como ‘prêmio’

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Um vigilante foi morto com um golpe de terçado na cabeça na madrugada desta terça-feira (11) na pedreira de extração de granito onde tirava trabalhava, localizada a dois quilômetros da Vila Palmares II, em Parauapebas. A vítima, identificada como Márcio Alves Pinheiro, de 28 anos, teve a arma de fogo que portava e colete da empresa de segurança para qual trabalhava levados pelo responsável ou responsáveis pelo crime.

Uma orelha da vítima também foi levada, como se fosse um troféu. O caso está sendo investigado pela 20º Seccional de Polícia de Parauapebas, que tem como uma das principais linhas de investigação crime de latrocínio, já que objetos foram roubados.


O corpo do vigilante, que trabalhava há um ano na empresa de segurança que presta serviços à pedreira, foi encontrado pela manhã pelo chefe dele, na hora que iria acontecer a substituição da guarda.

Márcio estava caído próximo a uma moto da empresa. Pela posição do corpo, a polícia acredita que ele foi morto à traição. O criminoso atingiu a vítima na cabeça, quando esta estava distraída, sem ter qualquer chance de defesa. Após a perícia do local de crime, o corpo foi removido pela equipe do Instituto Médico Legal (IML) para exame de necropsia.

Márcio, que morava na Vila Palmares Sul, era casado e tinha dois filhos. Segundo informações de parentes, era uma pessoa calma e que não tinha inimigos declarados.

Reportagem: Tina Santos, com informações de Ronaldo Modesto / Correio de Carajás

Publicidade

Veja
Também