Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Médicos do Hospital Regional de Marabá participam de capacitação sobre Declaração de Óbito

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

O planejamento de políticas de prevenção e promoção da saúde está diretamente relacionado à identificação dos fatores que provocam doenças na população. É a partir desse levantamento que são definidos os investimentos estratégicos na área. Um dos instrumentos para essa análise é a Declaração de Óbito, documento preenchido pelo médico, após a confirmação de morte, cujos dados integram o Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM), desenvolvido pelo Ministério da Saúde.

Para melhorar a qualidade dessas informações, dentre outras ações, o governo federal tem capacitado médicos de todo o País sobre o preenchimento da Declaração de Óbito. No Hospital Regional do Sudeste do Pará – Dr. Geraldo Veloso (HRSP), em Marabá, o encontro entre o Corpo Clínico e os consultores do Ministério da Saúde foi realizado nesta quinta-feira, 23/3. O debate contou com a participação de estudantes do curso de Medicina da Universidade do Estado do Pará (Uepa) e representantes da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), do 11º Centro Regional de Saúde e da Vigilância Epidemiológica de Marabá.


A iniciativa integra o esforço conjunto de mais de 20 países que se empenham para qualificar a definição de causas básicas de óbito, reduzindo, assim, os chamados garbages codes na Declaração de Óbito, que são informações com pouca utilidade para a saúde pública, ou seja, inespecíficas para o planejamento de ações de enfrentamento.

No Brasil, 30% dos óbitos têm como causa os garbages codes e, no Pará,35%. São registros como insuficiência cardíaca ou renal aguda, indicadas como causa de morte, mas, que, na verdade, são complicações decorridas de um problema anterior. E é justamente essa causa de origem que deve ser combatida pelas políticas públicas.

Segundo a consultora do Ministério da Saúde e coordenadora de Saúde da Criança e do Adolescente do Estado do Rio Grande do Sul, Eleonora Gehlen Walcher, que conduziu a capacitação no HRSP, o preenchimento correto da Declaração de Óbito é uma das matérias-primas para as políticas públicas de saúde no Brasil.

No Hospital Regional do Sudeste do Pará, a Comissão de Revisão de Prontuário e a Comissão de Revisão de Óbitos atuarão em conjunto para melhorar a qualidade da definição da causa básica de morte de pacientes internados na unidade, de acordo com o diretor Técnico da instituição, Cassiano Barbosa. Pertencente ao Governo do Estado e gerenciada pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, a unidade é referência em atendimento de média e alta complexidades para mais de 1 milhão de pessoas em 22 municípios.

Publicidade

Veja
Também