Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Metabase Carajás diz que Vale faz ‘capitalismo selvagem e busca lucro a qualquer custo’

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Continua o impasse sobre os reajustes salariais e outros benefícios entre sindicatos que representam trabalhadores que atuam na mineradora Vale e diretores da empresa.

A proposta da mineradora Vale que foi rejeitada pelos sindicatos é de reajuste salarial de 6,5% a partir da assinatura do acordo, além da manutenção de outros benefícios, pagamento de 13º do cartão alimentação, limitação do cartão alimentação e auxílio educação aos empregados afastados por doença, por seis meses.


As propostas foram rejeitadas pelos sindicatos que durante esta quinta-feira (3) e sexta-feira (4) continuarão em negociação.

Confira abaixo a nota publicada no site do Metabase Carajás:

“A Vale começou muito mal as negociações e apresentou aos sindicatos uma contraproposta indecente para o Acordo Coletivo 2016/2017. Já avisamos, de imediato, que a categoria será incendiada, com uma mobilização que exige toda a nossa agressividade contra mais este disparate da mineradora.
Depois de nos enfiar goela abaixo um Zero nos salários em 2015 e outro zero na PLR, a Vale está propondo agora um reajuste de 6,5% e um 13º cartão alimentação no valor de R$ 620,00.
Os patrões querem que os trabalhadores e suas famílias passem fome, pois, além de desconsiderar defasagem salarial de 24 meses desde o último reajuste, a Vale começa uma contraproposta muito abaixo até mesmo da inflação dos últimos 12 meses, estimada em algo próximo a 10%.
O METABASE CARAJÁS e demais sindicatos do Grupo RENOVAÇÃO repudiaram este desrespeito e recusamos a proposta escrota na própria mesa. Mas não ficamos apenas nisso: mandamos nosso recado aos patrões de que os trabalhadores serão mobilizados em nível nacional, exigindo que toda a nossa pauta de reivindicações seja discutida e tenhamos a recuperação do valor real dos nossos salários.
Alertamos todos os trabalhadores para se prepararem. Faremos um movimento de força para sermos respeitados e o empenho de todos será definidor para fazer com que a Vale não continue seu capitalismo selvagem, buscando o lucro a qualquer custo para os acionistas, levando nossas famílias a uma vida miserável.
Nova reunião já está marcada para os dias 3 e 4 de novembro”.

Publicidade

Veja
Também