Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

METABASE Carajás inicia assembleias para aprovação de acordo coletivo com a Vale

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

A Vale apresentou na última terça-feira (14), sua nova contraproposta aos sindicatos para acordo coletivo. Após receber a contraproposta, os sindicatos de forma consensual, decidiram submetê-la aos trabalhadores, para que em assembleia geral, a categoria tome uma posição sobre os termos para assinatura do Acordo Coletivo.

As assembleias já iniciaram, sendo a primeira na tarde desta sexta-feira (17) no Docenorte Esporte Clube(DEC), no Núcleo de Carajás, onde trabalhadores na Mina de Ferro Carajás, Manganês e Serra Leste votaram nas propostas da mineradora.


As assembleias seguem na seguinte ordem:

• Trabalhadores no S11D – dia 20 de novembro, às 9h00, no Clube do Sossego, na Rua Weyne Cavalcante em Canaã dos Carajás.

• Trabalhadores na Mina do Sossego – dia 20 de novembro, às 16h00, no Clube do Sossego, na Rua Weyne Cavalcante em Canaã dos Carajás.

• Trabalhadores na Mina do Salobo – dia 21 de novembro, às 16h00, no DEC, no Núcleo de Carajás.

As propostas que estão sendo submetidas para avaliação dos trabalhadores são:

* Reajuste de 2,5% nos salários e no Cartão Alimentação;

* Pagamento de 13º Cartão Alimentação;

* Nos demais benefícios financeiros, reajuste pelo INPC de 1,83%;

* Indenização de R$ 1.200, para descontinuidade do implante odontológico e ortodondia;

O presidente do Sindicato que representa os trabalhadores da mineradora Vale S. A., METABASE Carajás, Raimundo Amorim, o “Macarrão”, admite não ser satisfatória as propostas da mineradora, e garante ter se empenhado ao máximo para conseguir o melhor, porém em seu entendimento, o principal ganho é manter os empregos. “No primeiro momento da atual crise, a mineradora iniciou demitindo trabalhadores e sabemos que o resultado foi péssimo. Depois ela iniciou a cortar benefícios e até hoje continua fazendo isso. Nosso esforço é para que ninguém mais seja demitido, pois sabemos que não está fácil arrumar trabalho”, reconhece Macarrão, dizendo já ter passado outras crises semelhantes e que acredita que a situação econômica irá melhorar quando espera que sejam retomadas negociações com melhores resultados.

Reportagem: Francesco Costa / Da Redação do Portal Pebinha de Açúcar

Publicidade

Veja
Também