Single Posts
Confirmados
21.805
Single Posts
Recuperados

11.263
Single Posts
Óbitos
155

 Publicidade

MST e fazendeiros continuam em conflito e PA-275 pode voltar a ser interditada

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
MST e fazendeiros continuam em conflito e PA-275 pode voltar a ser interditada

“Este já é o terceiro dia de manifesto, aguardando a presença de autoridades ou representantes do Estado para nos socorrer do crime que está ocorrendo”, disse João Barreto, atual presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Parauapebas (Siproduz), após ter manifestado apoio aos proprietários da Fazenda Fazendinha, que ele diz serem vítimas da ação violenta de integrantes do MST que, segundo ele, invadiram curral, destruíram a sede, a casa de funcionários e coisas pessoas das famílias que moravam lá. João Barreto denuncia ainda que não apareceu nenhuma autoridade para identificar quem está fazendo isso.

O presidente do Siproduz qualifica a atuação do MST como “uma formação de quadrilha”, e recomenda ser preciso identificar quem foi a liderança que organizou “aquilo”; mas diz que os produtores rurais ainda acreditam na justiça e estão aguardando ela se manifestar.


Ainda de acordo com informações passadas pelo presidente do Siproduz, foi feita uma reunião em Belém, ontem, 20, terça-feira, e ficou acertado que a Deca (Delegacia de Conflitos Agrários) estaria hoje na área que fica localizada na PA-275, entre os municípios de Parauapebas e Curionópolis, porém, ele dá conta de que ficou sabendo que a ação foi cancelada e não deram mais nenhuma informação aos fazendeiros, que agora, aguardam a informação da Polícia Federal. “Os produtores rurais da vizinhança não concordam com os crimes que estão ocorrendo na sede da fazenda. Não estamos discutindo a retirada do acampamento da fazenda, isso será definido na Justiça, mas sim o fato de que os familiares do caseiro foram feitos de refém e tiveram seus objetos roubados por membros do MST, além de outras práticas de vandalismo, como matança de bois, destruição de bens e etc. E se a justiça não der nenhuma resposta, os produtores rurais irão fechar a rodovia”, afirma João Barreto, dando conta de que a medida iria ser tomada ontem, mas como tiveram a informação que a DECA viria hoje adiram. Porém garante que: “Se eles não vierem até depois de meio dia, vamos fechar a rodovia às 13h00, porque não é possível que o Estado seja conivente com essa situação”.

As informações não parecem ser apenas ameaça, pois no local já está à disposição equipamentos agrícolas como, por exemplo, tratores, além de, pelo menos, 150 fazendeiros prontos a dar apoio e fazer a interdição da via.

O caso tem como agravante o fato de ser da alçada federal, já que o mandado de desapropriação foi emitido pela Justiça Federal. Sendo assim, qualquer intervenção e ação devem ser feitas pela Polícia Federal. O que significa que a DECA não poderá intervir no conflito, a menos que o Ministério Público envie representantes para acompanhar a ação.

Anteriormente a Rodovia PA’275 já foi interditada por várias horas, clique aqui e relembre o caso.

Reportagem: Francesco Costa / Da Redação do Portal Pebinha de Açúcar

Publicidade

Veja
Também