Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Mudança de hábitos alimentares e redução de peso são indispensáveis para evitar doenças cardiovasculares

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Essa é a última reportagem da série trazida pelo Portal Pebinha de Açúcar, onde profissionais da área de saúde , sendo, cardiologista AQUI, personal trainer AQUI e por último nutricionista, detalham a respeito de como prevenir ou conviver com as doenças cardiovasculares.

Nesta reportagem, quem traz importantes orientações a respeito do assunto é a nutricionista Laine Carrera, detalhando a respeito da idade ou estado de saúde da pessoa, como deve ser uma alimentação equilibrada buscando diversificar ao máximo possível para que tenha uma variedade de vitaminas e minerais. Além de falar a respeito da alimentação preventiva ou quando a pessoa já apresenta problemas cardíacos ou doenças correlacionadas sendo inevitável que se faça redução de peso.


De acordo com a nutricionista Laine Carrera, a rotina alimentar para se manter saudável precisa ser basicamente equilibrada, não precisando por isso ter uma distribuição de macros nutrientes de forma restritiva, ou seja, não é necessário tirar todo o carboidrato, gordura nem proteína; o que se faz necessário é equilibra-los diversificando ao máximo possível para que o corpo tenha uma variedade de vitaminas e minerais.

A forma como se consome os alimentos também foi explicado pela nutricionista, lembrando que todo o processo de alimentação começa na boca através das enzimas e da saliva. Assim, através do processo de mastigação inicia o envio de mensagens para o cérebro de que está chegando alimentos e ele começa o processo de liberação de alguns hormônios no estômago. “Então quando você pula o processo da mastigação bem feita é possível que se coma muito e continue com fome porque a liberação de hormônios e enzimas está totalmente ligado ao ato de mastigar”, orienta Laine Carrera, explicando que a ingestão de líquido antes ou durante as refeições não traz nenhum problema desde que esse líquido seja água podendo ser inserido limão ou vinagre de maçã o que alcaliniza o PH intestinal o que facilita a absorção de nutrientes; mas, jamais deve se usar sucos, refrigerantes ou bebidas alcóolicas.
Porém, a ingestão de líquido com a alimentação deixa de ser benéfica quando a pessoa já tenha alguma patologia associada como, por exemplo, refluxo ou gastrite.

“A alimentação preventiva para várias doenças, inclusive as cardiovasculares e associadas, devem iniciar ainda durante a gravidez através do que é consumido pela mãe. A relação da microbiota intestinal da criança já tem uma relação ao que a mãe consumiu durante a gestação o que significa que os hábitos dessas crianças já estão geneticamente pré-definidos através da alimentação da gestante”, detalha Laine Carrera, orientando que para não ter que fazer reeducação alimentar é melhor começar logo na concepção mudando a alimentação durante a gravidez para que as crianças não tenha impactos no ganho de peso durante a infância, adolescência ou até mesmo na fase adulta.

Laine Carrera – Nutricionista

 

Relação da alimentação com doenças cardiovasculares – Quando o indivíduo tem uma alimentação muito irregular que propicia ganho de peso, normalmente, ela vem associada há algumas comorbidades podendo ser diabetes, alta glicose, colesterol alto, sendo todas elas doenças de grande impacto para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares; assim, quando se tem uma alimentação mais saudável se tem uma corpo trabalhando de forma muito mais equilibrada e consequentemente não tem excesso de peso que venha prejudicar a pressão arterial além de aumentar as taxas citadas e consequentemente se alcança longevidade com qualidade de vida. “A alimentação é a base e diminui os riscos de doenças cardiovasculares, principalmente se associada a práticas de exercícios físicos para se manter a musculatura cardíaca de forma mais jovem”, conclui Laine, porém, se a pessoa já apresenta problemas cardíacos deve ser avaliado de forma individual com a juntada de todos os exames laboratoriais avaliando a pressão arterial e as doenças correlacionadas; sendo de forma geral uma dieta de baixa caloria excluindo as farinhas refinadas e ultraprocessados como, por exemplo, gordura hidrogenada, margarina, biscoitos etc.

Recomenda-se que para mudar os hábitos alimentares é preciso consultar um nutricionista; porém, já dá para, antes de ir ao consultório, retirar refrigerantes, bebidas alcoólicas, massas em geral e produtos açucarados. O caminho da pessoa cardíaca, conforme apontado pela nutricionista Laine Carrera, é trocado do supermercado para a horta, com o objetivo de reverter esse quadro através da alimentação e atividade física que só deve ser feita sob liberação médica.

Publicidade

Veja
Também