No “apagar das luzes de 2020”, Adonei vende equipamentos da prefeitura de Curionópolis em Tucuruí

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Adonei Aguiar – Prefeito de Curionópolis

Ao apagar das luzes o prefeito se desfez de uma ambulância ano 2020, além de deixar o município sem máquinas pesadas, micro-ônibus escolar, caminhões e outros veículos

Adonei Aguiar parece disposto a usar os últimos dias à frente da Prefeitura de Curionópolis para dilapidar – de forma bem escondida – o que sobrou do patrimônio municipal. Faltando poucos dias para entregar o cargo para a prefeita eleita, Mariana Chamon, ele decidiu leiloar diversos veículos e máquinas da gestão municipal, deixando a cidade sem ambulância, por exemplo.


A reportagem descobriu nesta segunda-feira (28) que o leilão ocorreu nos últimos dias 17 e 18 de dezembro em Tucuruí, a quase 400 quilômetros de Curionópolis e bem longe das vistas dos munícipes e dos órgãos fiscalizadores. Dentre os bens leiloados, está uma pá carregadeira Case W-20, que custa em média R$ 200 mil, oferecida por R$ 20 mil.

Da mesma forma foram leiloadas retroescavadeira Case 580-N a partir de R$ 15 mil; trator John Deere 6405 a partir de R$ 1.500; retroescavadeira Case 580-N a partir de R$ 15 mil; e motoniveladora Case 845 a partir de R$ 30 mil. Todas as máquinas foram classificadas como “sucata inservível” pelo município.

A Prefeitura de Curionópolis, por meio de Adonei Aguiar, também leiloou uma caminhonete Mitsubishi L200 Triton Sport a partir de R$ 1 mil e três kombis, cada uma a partir de R$ 800.

O mais absurdo na lista, entretanto, é o leilão de uma ambulância Fiat Ducato, descrita como ano 2020 e de primeiro emplacamento, por valor de R$ 10 mil. Outro veículo semelhante, de 2011, foi colocado a leilão a partir de R$ 800.

Foram leiloados, ainda, dois micro-ônibus Iveco Cityclass 70C17, utilizados para transporte escolar, um a partir de R$ 3 mil e outro a partir de R$ 10 mil. Por fim, entre os veículos leiloados, estavam dois caminhões basculantes, estes categorizados como “recuperáveis”, um de 2010 e outro de 2014, leiloados a partir de R$ 12 mil e R$ 17 mil, respectivamente.

NO ESCURO
O leilão foi realizado pela Ello Pátio & Leilões, que possui sede em Jacundá. Conforme o edital, a empresa e a Prefeitura de Curionópolis firmaram o contrato N° 20192635 para a realização do serviço, mas o documento não consta no Portal da Transparência do Município.
Na página da prefeitura também não há menção ao leilão de bens próprios ou links que direcionem para o edital e anexo no qual deveria estar relacionada a lista de bens. O próprio documento que estipula as regras para a realização do ato determina que essas informações sejam divulgadas no site.

Além disso, a reportagem não identificou publicação do Aviso de Leilão em diários oficiais. Em contato com a empresa foi questionada a transparência do processo, tendo sido repassado para a Reportagem um Aviso de Licitação digitalizado onde não consta data de publicação.

O responsável pelo atendimento, entretanto, informou ter sido publicado no jornal O LIBERAL, da capital Belém, possivelmente em 28 de Novembro, passadas as Eleições e após as derrota de Adonei nas urnas.

Causa estranheza não constar no site da Ello Pátio e Leilões, até essa segunda-feira, a lista de veículos e máquinas leiloadas, entretanto é possível ter acesso aos lotes referentes a outros materiais do patrimônio público leiloados na mesma ocasião, como cadeiras escolares, materiais de hospital, frigobar e geladeiras.

O representante da empresa só entregou a lista detalhando os bens de maior valor após muita insistência e ser questionada a omissão dos lotes na página da leiloeira. Alegando ter sido transparente, o atendente informou que o leilão foi realizado de formas online e presencial para mais 1.500 participantes e oito estados. Ele não respondeu ao pedido de acesso à gravação.

Não foi divulgado quem arrematou cada bem e por qual valor final.

Publicidade

veja também