Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Nova CNH terá 19 itens de segurança contra fraudes

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Uma carteira nacional de habilitação (CNH) falsa foi apreendida, por semana, pelo Departamento de Trânsito do Estado do Pará (Detran-PA), nos últimos seis meses. Houve picos de até duas carteiras falsas num mesmo dia. A qualidade das falsificações é tão alta que agentes têm relatado dificuldades em distinguir o documento legítimo do falso, sendo necessária perícia no Centro de Perícias Científicas Renato Chaves. A partir do dia 5 de janeiro, após o recesso do órgão para atualização dos sistemas, um novo modelo de CNH será emitido.

Na nova CNH, há 19 itens de segurança estéticos e técnicos. O papel cédula continua sendo o material padrão, mas agora ganhará uma cor mais escura. Alguns elementos novos são bem evidentes, como marcas d’água, relevos e mapas estilizados do Pará e do Brasil. Outros elementos requerem treinamento para identificação. Alguns são quase imperceptíveis a olho nu ou sem ajuda de alguns instrumentos.


“Um dos elementos que mais facilitará a fiscalização e identificação de fraudes é uma tecnologia semelhante ao QR Code, um código que poderá ser lido através de um aplicativo de celular do agente de trânsito e já saber se é uma carteira legítima ou não”, observa Valter Aragão, coordenador de Planejamento do Detran-PA, observando a necessidade de dar mais segurança ao documento frente ao avanço tecnológico de criminosos que fraudam documentos. Claro, algumas fraudes ainda são grosseiras.

O novo modelo de carteira de habilitação só será obrigatório para quem for receber o documento novo. Carteiras que ainda estão na validade podem continuar circulando normalmente, mas o modelo antigo, que já tem mais de dez anos em circulação, vai lentamente ser descontinuado e substituído pelo modelo novo.

Valter reconhece que o número de carteiras falsas apreendidas semanalmente pode parecer pequeno, mas é consideravelmente alto. “O risco são tantas que passaram por nós e não conseguimos identificar a fraude e continuam circulando por aí. Mas estamos buscando formas de estar um passo à frente dos fraudadores”, conclui.

Crime

Falsificar documento ou usar documento falso é crime que dá de dois a seis anos de prisão, aumentando em um sexto a pena caso seja o falsário seja servidor público. Conduzir veículo sem habilitação – caso o condutor não tenha carteira original e use apenas a falsa – é infração gravíssima e que pode dar detenção de seis meses a um ano ou multa.

Reportagem: ORM News

Publicidade

Veja
Também