Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Operação Eleições 2020 coordenada pela Segup terá Centros Integrados Regionais

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Estratégias, integração, ações céleres e eficientes constituem a “Operação Eleições 2020” da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Pará. O pleito no cenário de pandemia da Covid-19 exige atuações diferenciadas, e a Segup já consolidou as ações que serão realizadas ao longo da operação, com início no próximo dia 13 até 29 deste mês, data de um eventual segundo turno. As ações porém serão intensificadas no dia das eleições em 15 de novembro.

Efetivo


No Pará, de acordo com dados do Tribunal Regional Eleitoral, existem 100 zonas eleitorais, 5.758.120 leitores e 5.338 locais de votação, e a Secretaria de Segurança Pública garante que todos os municípios receberão reforço das Polícias Civil e Militar. Também participarão da Operação Eleições agentes do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) e militares do Corpo de Bombeiros.

O aparato tem um efetivo estimado em 4.797 agentes, disposição de 57 viaturas de duas e quatro rodas, dois helicópteros e três aviões do Grupamento Aéreo de Segurança Pública (Graesp) e quatro embarcações do Grupamento Fluvial.

Em mais de 70 municípios haverá, ainda, a presença das tropas federais. Na capital, a Guarda Municipal de Belém somará às ações integradas um total de cerca 300 homens, 40 motos e 18 viaturas, além da atuação da Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém (SeMOB).

O secretário de Segurança Pública e Defesa Social do Pará, Ualame Machado, ressalta que a operação reflete o planejamento construído em conjunto com diversas instituições para uma eleição tranquila e segura.

“É a operação que demanda a maior integração e emprego de efetivo da segurança pública e dos órgãos de defesa. Estamos fortalecendo o efetivo em todos os municípios do estado do Pará, empregando todas as forças de forma integrada, compartilhada e ajustada com os órgãos federais, com as Forças Armadas, órgãos municipais, com a Polícia Federal e o TRE (Tribunal Regional Eleitoral), por exemplo”.

Ualame Machado observou que o planejamento foi feito durante vários meses “para que tudo transcorra dentro da normalidade. A gente espera que a população exerça a democracia, seu direito de voto e que as decisões do povo sejam respeitadas e o sistema de segurança está pronto para ser empregado e garantir a tranquilidade das eleições 2020”, detalhou.

Novidade

A novidade da “Operação” é a implantação de Centros Integrados de Comando e Controle Regionais (CICCR), nos municípios de Marabá, Capanema, Castanhal, Soure, Breves, Paragominas, Tucuruí, Redenção, São Félix Xingu, Santarém, Itaituba, Abaetetuba e Altamira. A iniciativa foi adotada após a verificação da eficácia do Centro Integrado de Comando e Controle instalado para a operação na Capital paraense, que contempla a Região Metropolitana de Belém (RMB). Os centros funcionarão nos dois dias das eleições, em 15 e 29 de novembro, nesse último, se houver o segundo turno.

“Nós estamos com a novidade na operação dos Centros Integrados de Comando e Controle regionalizados, não só em Belém, como sempre houve, mas também em várias regiões do Pará que poderão facilitar a interlocução entre os órgãos, a decisão e a execução do que for necessário”, ressaltou Ualame Machado.

Os CICCR’s vão reunir representantes das Polícias Civil e Militar, Corpo de Bombeiros, Departamento de Trânsito (Detran), Grupamentos aéreo e fluvial, e de outras instituições como Guardas Municipais, concessionária de energia elétrica e Tribunal Regional Eleitoral (TRE), Forças Armadas, Defesa Civil do Estado e Municípios, Secretaria de Saúde Pública estadual e municipais, agências de trânsito das localidade, Exército e Polícia Federal.

Os agentes de órgãos e instituições vão estar apostos a partir das 6h, monitorando a movimentação em locais de votação e no entorno, principais vias públicas e espaços onde ocorrerá, por exemplo, a apuração da eleição, em cada região. O trabalho só se encerrará após a consolidação dos resultados eleitorais.

Cada município, independente de ter ou não o Centro Integrado, contará com um ponto focal: oficiais da Polícia Militar ou delegados da Polícia Civil ficarão responsáveis por alimentar o sistema integrado com informações.

No CICC de Belém os responsáveis abastecerão o sistema nacional Córtex com os fatos que vierem a ocorrer. Desta maneira, haverá interligação de informações entre os municípios com o Estado e do Estado com o Centro Integrado nacional que será instalado em Brasília.

Cenários monitorados

Os cuidados de proteção contra a Covid-19 serão de mantidos, e o TRE direcionará pessoas para o controle de acesso nas escolas. O planejamento montado projetou cenários avaliados com as respectivas variáveis de riscos, considerando da realização da ”boca de urna”, práticas de compra de votos, ameaças, conflitos e provocações entre representantes de partidos oposicionistas, manifestações/aglomerações de eleitores nas proximidades de locais de votação, transporte irregular de eleitores (rodoviário ou fluvial), logística de deslocamento dos órgãos para locais de votação de difícil acesso, bloqueios às vias públicas etc.

Publicidade

Veja
Também