Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Ovos, prisões e arquivamento de representação marcam sessão na Câmara de Parauapebas

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

A Câmara Municipal de Parauapebas nunca teve um público tão eufórico como na sessão ocorrida na tarde de ontem, terça-feira, 25. O auditório estava lotado de populares e servidores públicos, que se dividiam em apoio e oposição ao prefeito Valmir Mariano (PSD) que estava por um triz de ser afastado da chefia do Poder Executivo.

O afastamento foi proposto pelo cidadão Paulo André Lima de Souza, residente no bairro Casas Populares II, que protocolou na Secretaria da Câmara. Em um pedido bem embasado sob a alegação de crime de improbidade administrativa, Paulo cita as diversas investigações contra o prefeito e as diversas prisões de membros do alto escalão e diz que a cada dia que o Gestor continuar à frente da prefeitura será um prejuízo imenso para todos os munícipes.


Foi feita a leitura completa do documento que durou mais de 90 minutos sendo depois posto em votação nominal pelo Presidente da Câmara Ivanaldo Braz (SDD).

Chuva de ovos

Logo no início da votação da representação, duas pessoas foram presas no Plenário da Câmara Municipal de Parauapebas e encaminhadas à Delegacia de Polícia Civil. Os detidos jogaram ovos na mesa diretora da Câmara Municipal e a sessão foi suspensa por cinco minutos.

11899981_1127032900645088_7670086933630929743_n

Votaram à favor da representação que pedia o afastamento do prefeito Valmir Mariano:

• Israel Pereira Barros (Miquinha do PT)
• Eusébio Rodrigues (PT)
• Eliene Soares (PT)
• José Arenes (PT)
• Francisco do Amaral Pavão (SDD)

• Charles Borges (SDD)

• Bruno Soares (PP)
• Luzinete Rosa Batista (PV)

Votaram contra a representação que pedia o afastamento do prefeito Valmir Mariano:

Zacarias Assunção, líder do governo na Câmara (PP)
Maridé Gomes (PSC)

Se abstiveram de votar a representação que pedia o afastamento do prefeito Valmir Mariano:

Devanir Martins (SDD)
Marcelo Parceirinho (PMDB)

Estiveram ausentes na sessão que votou a representação que pedia o afastamento do prefeito Valmir Mariano:

• Major da Mactra (PSDB), que justificou estar resolvendo problemas particulares
• Josineto Feitosa (SDD), preso na segunda etapa da operação Filisteu, já beneficiado por Habeas Corpus, porém ainda gozando de licença concedida em votação feita na Câmara recentemente.

Regra do jogo

Segundo o anunciado pelo presidente daquela Casa de Leis, Ivanaldo Braz, para a aprovação da Representação que pedia o afastamento do Prefeito Valmir Mariano, seria necessário a votação favorável de 2/3 (dois terços) da Câmara Municipal, que significa um número de 10 vereadores, como apenas 8 votaram à favor, o pedido foi arquivado.

O vereador Francisco do Amaral Pavão disse que, de acordo com o Regimento Interno, bastava ter votos da maioria simples, ou seja, oito vereadores. Ele garante que irá recorrer para fazer valer.

Surpresa

Que Zacarias Assunção votaria contra o pedido de afastamento de Valmir Mariano era algo certo e normal, afinal ele é o Líder do Governo; mas todos contavam com o voto favorável de Marcelo Parceirinho que assumiu recentemente a cadeira deixada por Odilon Rocha de Sanção. Parceirinho que, em sua posse, fez um discurso “cheio de marra”, deixou a plateia frustrada quando, sob a alegação de que não conhecia o “tal de Paulo André Lima de Souza”, e nem suas intenções de pedir o afastamento do prefeito, se absteve de votar.

Reportagem e fotos: Francesco Costa – Da Redação do Portal Pebinha de Açúcar

Publicidade

Veja
Também