Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Parauapebas 27 anos: Quem te viu, quem te vê…

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

No vale do Rio Parauapebas começa a ser construída a Vila de Parauapebas, como suporte para trabalhadores das empreiteiras do Programa Grande Carajás às subsidiárias da Vale do Rio Doce e para abrigar as populações que chegavam à região.

Os 160 km de poeira e buracos ligando Parauapebas a Marabá, município mãe, e daí ao mundo, foi o caminho por onde chegaram os primeiros imigrantes. Gente de todo o país, atraída pela grande oferta de trabalho e esperança de riqueza fácil. Nascia o conhecido “Pebinha de Açúcar”.


Uma fronteira de desenvolvimento se abria, atraindo um caleidoscópio de cores, sotaques e esperanças. Em 1985, Parauapebas registrava mais de 13 mil habitantes. Hoje a população é estimada em mais de 300 mil habitantes, só na Zona Urbana.

Emancipação

Os primeiros movimentos pela emancipação da cidade começaram em 1985. Em 1988, a Vila tornou-se município através de um plebiscito. Com a Lei Estadual nº 5.443/88, Parauapebas conquista finalmente a autonomia. A vida na cidade ganha um novo ritmo e um novo rumo.

No mesmo ano, o povo elege o seu primeiro prefeito, o médico Faisal Salmen, que assume a tarefa de fazer brotar do nada uma cidade com infraestrutura mínima para uma vida digna.

A primeira coisa foi mudar o visual da cidade e assumir para valer o compromisso com o meio ambiente. Foi feito o plantio de várias espécies vegetais nas vias e logradouros públicos do município na época e que hoje proporcionam uma melhor qualidade de vida à população.

O segundo prefeito eleito foi Chico das Cortinas, e este além de investir em saneamento abriu precedentes em projetos de moradias com a aberturas do bairro Cortinão, hoje Liberdade. Mas foi sucedido pela primeira mulher, prefeitura, Bel Mesquita, que iniciou a revolução que colocou Parauapebas entre as quatro cidades paraenses de maior crescimento social e econômico, e uma das poucas do Estado com projeção nacional.

Após cumprir dois mandatos iguais de quatro anos chegou a vez do professor Darci Lermen que, aproveitando a onda vermelha e o momento de revolução política nacional se elegeu em uma campanha popular ficando também dois mandatos frente ao governo. Porém, findo os oito anos da era petista o governo de Parauapebas chegaram as “Mãos que Trabalham” pregando a “Mudança”. Com estes slogans de campanha se elegeu, com diferença grande em relação ao segundo colocado, Valmir da Integral, que logo após assumir o governo passou a ser identificado apenas como Valmir Queiroz Mariano.

Olhando Parauapebas hoje, há 27 anos de sua fundação, é difícil imaginar que ela é a mesma das fotografias antigas, sem qualquer infraestrutura, que lembravam muito mais um acampamento do que uma cidade.

Graças às diversas gestões, que sanearam obras por todos setores da cidade, Parauapebas aos poucos conquista um padrão de vida semelhante aos dos centros mais desenvolvidos do país.

Parabéns Parauapebas pelos 27 anos! Nós do Portal Pebinha de Açúcar nos orgulhamos de fazer parte desta linda história!

Reportagem: Francesco Costa – Da Redação do Portal Pebinha de Açúcar
Foto: Arquivo / Anderson Souza

Publicidade

Veja
Também