Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Parcerinho sugere implantação de gratificação aos servidores da segurança pública estadual que atuam em Parauapebas

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Na sessão ordinária da última terça-feira (6), o vereador Marcelo Parcerinho (PSC) pediu ao Poder Executivo municipal que celebre convênio com o Governo do Estado para implantar atividade delegada em Parauapebas.

Nessa atividade delegada, os militares em folga trabalham no policiamento ostensivo e preventivo em áreas que serão predeterminadas pelo Poder Executivo municipal. A participação será voluntária e os policiais poderão trabalhar até o limite de horas por mês na função a serem definidas no convênio. Para os militares, a atividade é uma oportunidade para complementar a renda, pois serão remunerados pela prefeitura.

Conforme explicou o proponente do pedido, a gratificação por desempenho de atividade delegada será paga aos integrantes das forças de segurança para ampliar e incentivar os esforços no combate às atividades irregulares ou ilegais no município. Parcerinho ainda ressaltou que a atuação de policiais militares, civis e de bombeiro militar, munidos do equipamento de proteção individual, em escala especial, deverá ocorrer em locais a serem especificados no plano de trabalho.


Dessa forma, haverá a redução da violência e melhoria na segurança pública de Parauapebas, uma vez que a intervenção policial imprime maior poder de repressão, principalmente pelo aspecto preventivo, dado o inegável respeito e sensação de segurança impostos pelos integrantes da força policial onde quer que se apresentem.

O processo para implantação da atividade delegada no município será dividido em etapas que compreendem a aprovação e a regulamentação de leis autorizando o convênio com as forças de segurança e a elaboração de um plano de ação integrada.

Apoiando o pedido de Parcerinho, os demais vereadores aprovaram a indicação, que será encaminhada ao Executivo municipal para análise financeira e estratégica acerca da proposição apresentada, para possível implementação.

Publicidade

Veja
Também