Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Pesquisa aponta Parauapebas como uma das melhores cidades para se investir no Brasil

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

A edição de abril de 2014 da Revista Exame traz um amplo levantamento, realizado pela consultoria paulista Urban Systems, sobre a situação das cidades brasileiras com mais de 100 mil habitantes no que se refere a investimentos em negócios. Um ranking com as 100 melhores foi elaborado levando em conta 27 indicadores, divididos em sete subcategorias, com pesos diferentes. Veja a seguir a metodologia utilizada:

Sociodemografia
1. Crescimento populacional (2000-2010) – peso 2
2. População economicamente ativa (2013) – peso 1
3. % de chefes de famílias da classe A (2013) – peso 1
4. Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (2010) – peso 1
5. Evolução do IDHM (2000-2010) – peso 1


Economia
6. Crescimento do PIB (2008-2011) – peso 2
7. Produto Interno Bruto per Capita (2011) – peso 1
8. Crescimento do número de empresas (2008-2012) – peso 2
9. Crescimento de empregos formais (2008-2012) – peso 2
10. % de empresas com mais de 1 mil empregados (2012) – peso 1
11. Renda média dos trabalhadores formais (2012) – peso 2
12. Empregados/população economicamente ativa (2013) – peso 1

Saúde
13. Número de leitos por 1 mil habitantes (2013) – peso 1
14. Número de beneficiários de convênio médico em relação à população (2013) – peso 1
15. Índice de longevidade (2010) – peso 1
16. Índice de coleta de esgoto (2011) – peso 1
17. Índice de tratamento de esgoto (2011) – peso 1

Educação
18. Percentual de trabalhadores formais com ensino superior (2012) – peso 2
19. Número de matrículas no ensino superior em relação à população economicamente ativa (2010) – peso 1
20. Percentual de docentes do ensino fundamental com curso superior (2012) – peso 1

Finanças
21. Índice Firjan de Gestão Fiscal (2011) – peso 2
22. Número de agências bancárias por 10 mil habitantes (2013) – peso 1

Transporte
23. Crescimento da frota de automóveis (2008-2013) – peso 1
24. Número de automóveis por 1 mil habitantes (2013) – peso 1
25. Existência de portos (2013) – peso 1
26. Existência de aeroportos com pista de, no mínimo, 1.200 metros (2013) – peso 1

Telecomunicações
27. Percentual de conexões de banda larga fixa acima de 12 Mbps (2013) – peso 1

AS 100 MELHORES
(total de pontos possíveis: 34)

1. Vitória (ES) – 17,36 pontos
2. Parauapebas (PA) – 16,00
3. Curitiba (PR) – 15,53
4. Barueri (SP) – 15,45
5. Florianópolis (SC) – 15,30
6. Niterói (RJ) – 15,14
7. São Caetano do Sul (SP) – 15,11
8. Recife (PE) – 15,10
9. Rio de Janeiro (RJ) – 15,00
10. Macaé (RJ) – 14,92

11. Belo Horizonte (MG) – 14,81
12. Porto Alegre (RS) – 14,60
13. Brasília (DF) – 14,53
14. Itajaí (SC) – 14,25
15. Maringá (PR) – 14,19
16. Rio das Ostras (RJ) – 14,09
17. Jundiaí (SP) – 13,98
18. São Paulo (SP) – 13,77
19. Campinas (SP) – 13,67
20. Goiânia (GO) – 13,63

21. Porto Velho (RO) – 13,62
22. Santana de Parnaíba (SP) – 13,37
23. Santos (SP) – 13,34
24. Fortaleza (CE) – 13,18
25. Palmas (TO) – 13,13
26. Caxias do Sul (RS) – 13,06
27. Uberlândia (MG) – 13,06
28. Salvador (BA) – 12,99
29. Sorocaba (SP) – 12,99
30. Campo Grande (MS) – 12,98

31. Manaus (AM) – 12,87
32. São Bernardo do Campo (SP) – 12,82
33. Rio Verde (GO) – 12,71
34. Cascavel (PR) – 12,68
35. Piracicaba (SP) – 12,63
36. Balneário Camboriú (SC) – 12,57
37. Rio Grande (RS) – 12,57
38. São José do Rio Preto (SP) – 12,55
39. São José dos Pinhais (PR) – 12,54
40. Londrina (PR) – 12,52

41. Aracaju (SE) – 12,51
42. São Luis (MA) – 12,49
43. Três Lagoas (MS) – 12,46
44. São José dos Campos (SP) – 12,45
45. Valinhos (SP) – 12,37
46. Vila Velha (ES) – 12,36
47. Ribeirão Preto (SP) – 12,34
48. Itapevi (SP) – 12,33
49. Toledo (PR) – 12,29
50. Hortolândia (SP) – 12,27

51. Belém (PA) – 12,25
52. Presidente Prudente (SP) – 12,18
53. Anápolis (GO) – 12,14
54. Natal (RN) – 12,13
55. Bauru (SP) – 12,06
56. Joinville (SC) – 12,06
57. Angra dos Reis (RJ) – 12,04
58. Santo André (SP) – 12,04
59. São Carlos (SP) – 11,94
60. Betim (MG) – 11,93

61. Itabira (MG) – 11,92
62. Santa Maria (RS) – 11,89
63. Cuiabá (MT) – 11,84
64. Indaiatuba (SP) – 11,83
65. São José (SC) – 11,82
66. Varginha (MG) – 11,80
67. Araraquara (SP) – 11,76
68. Uberaba (MG) – 11,75
69. Guarulhos (SP) – 11,74
70. Dourados (MS) – 11,72

71. Passo Fundo (RS) – 11,71
72. Cotia (SP) – 11,70
73. Resende (RJ) – 11,70
74. Blumenau (SC) – 11,70
75. João Pessoa (PB) – 11,69
76. Campina Grande (PB) – 11,67
77. Foz do Iguaçú (PR) – 11,67
78. Maceió (AL) – 11,66
79. Ponta Grossa (PR) – 11,64
80. Botucatu (SP) – 11,59

81. Valparaíso de Goiás (GO) – 11,59
82. Teresina (PI) – 11,51
83. Sinop (MT) – 11,50
84. Bento Gonçalves (RS) – 11,49
85. Pouso Alegre (MG) – 11,49
86. Umuarama (PR) – 11,48
87. Osasco (SP) – 11,43
88. Juiz de Fora (MG) – 11,39
89. Altamira (PA) – 11,39
90. Itu (SP) – 11,37

91. Araucária (PR) – 11,35
92. Lauro de Freitas (BA) – 11,34
93. Rondonópolis (MT) – 11,33
94. Jaraguá do Sul (SC) – 11,31
95. Boa Vista (RR) – 11,31
96. Americana (SP) – 11,28
97. Barretos (SP) – 11,27
98. Araras (SP) – 11,25
99. Palhoça (SC) – 11,19
100. Serra (ES) – 11,06

Melhores por região

Sudeste – 47 cidades
São Paulo (30)
Minas Gerais (8)
Rio de Janeiro (6)
Espírito Santo (3)

Sul – 24 cidades
Paraná (10)
Santa Catarina (8)
Rio Grande do Sul (6)

Nordeste – 11 cidades
Bahia (2)
Paraíba (2)
Alagoas (1)
Ceará (1)
Pernambuco (1)
Rio Grande do Norte (1)
Sergipe (1)
Maranhão (1)
Piauí (1)

Centro-Oeste – 11 cidades
Goiás (4)
Mato Grosso (3)
Mato Grosso do Sul (3)
Distrito Federal (1)

Norte – 07 cidades
Pará (3)
Amazonas (1)
Rondônia (1)
Roraima (1)
Tocantins (1)

Melhores por segmento
* para este levantamento foram considerados indicadores específicos adicionais

Desenvolvimento Econômico
(notas de 0 a 14)

1. Parauapebas (PA) – 7,46
2. Rio das Ostras (RJ) – 7,00
3. Queimados (RJ) – 6,21
4. Três Lagoas (MS) – 5,94
5. Cabo de Santo Agostinho (PE) – 5,90
6. Palhoça (SC) – 5,84
7. Aparecida de Goiânia (GO) – 5,77
8. Porto Velho (RO) – 5,70
9. Itapevi (SP) – 5,63
10. Marituba (PA) – 5,59

Desenvolvimento Social
(notas de 0 a 5)

1. Rio das Ostras (RJ) – 3,64
2. Conselheiro Lafaiete (MG) – 3,44
3. Ibirité (MG) – 3,38
4. Divinópolis (MG) – 3,38
5. Maracanaú (CE) – 3,28
6. Santa Luzia (MG) – 3,28
7. Pouso Alegre (MG) – 3,26
8. Piraquara (PR) – 3,12
9. Trindade (GO) – 3,19
10. Araguari (MG) – 3,19

Infraestrutura
(notas de 0 a 7)

1. Recife (PE) – 5,28 pontos
2. Salvador (BA) – 5,23
3. Rio de Janeiro (RJ) – 5,14
4. Fortaleza (CE) – 4,85
5. Vitória (ES) – 4,54
6. Belo Horizonte (MG) – 4,34
7. Campina Grande (PB) – 4,30
8. Niterói (RJ) – 4,29
9. Guarulhos (SP) – 4,18
10. Feira de Santana (BA) – 4,07

Capital Humano
(notas de 0 a 9)

1. Florianópolis (SC) – 5,67
2. Vitória (ES) – 5,48
3. São Caetano do Sul (SP) – 5,30
4. Curitiba (PR) – 4,98
5. Macaé (RJ) – 4,89
6. Brasília (DF) – 4,70
7. Belo Horizonte (MG) – 4,68
8. Santos (SP) – 4,64
9. Porto Alegre (RS) – 4,61
10. Palmas (TO) – 4,59

Fonte: Revista Exame – Edição 1064 – Ano 48 – Nº 08 – 30/04/2014

Publicidade

Veja
Também