Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Polícia Militar coloca atrás das grades homicida e traficantes

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Maria assumiu prontamente a propriedade da droga encontrada em sua casa, dizendo “ter comprado ali”, mas não soube dizer com quem. Perguntada como aconteceu sua prisão, ela diz apenas que foi abordada na rua e levada à sua residência, no bairro Rio Verde, em Parauapebas, onde entregou a droga.

Maria de Sousa Melo, tem 19 anos de idade, e diz não ter passagem anterior pela polícia e mensura não ter muito tempo que pratica o perigoso negócio do tráfico.


Quem efetuou a prisão de Maria foi o Tenente Honorato; ele estava no comando da Operação Saturação, quando recebeu denúncia de que três elementos estavam comercializando entorpecentes no Bairro daPaz, sendo um deles responsável por vários homicídios em Parauapebas. “Foi feita a diligência e, ao encontrá-los, abordagem”, conta Tenente Severo, dando conta de que os suspeitos esboçaram reação, sendo necessário o uso da força para rendê-los.

Maria Souza de Melo, Thiago Ferreira Araújo e Rodrigo Ferreira Menezes

 

No momento da prisão, já foi encontrado com Maria uma peteca de cocaína, que logo foi entregue para os policiais, além de informar que havia mais da droga em sua residência, onde a polícia fez diligência, encontrando mais 30 gramas da droga e 391 gramas de maconha.

Um dos integrantes do trio é Nelson, suspeito de estar envolvido em vários homicídios confessados por ele mesmo, sempre com ajuda de um comparsa de prenome Rodrigo, sendo dois deles na noite de sexta-feira, 1, quando feriu quatro pessoas, vindo duas a falecer e outras duas salvas graças ao socorro e atendimento hospitalar; no mesmo dia, de acordo com confissões de Nelson, cometeu outro homicídio. Investigações apontam que o frio assassino pertença ao PCC – Primeiro Comando da Capital.

O motivo dos assassinatos, conforme afirmado pelo réu confesso, é desentendimentos entre as facções PCC e Comando Vermelho.

Além de homicídios, a dupla praticava ocultação de cadáveres, então levou a polícia ao local e mostrou o corpo de uma de suas vítimas.

Para fechar a ação, Nelson informou que a arma do crime estava na casa de seu comparsa, Rodrigo Ferreira Menezes, no Residencial Alto Bonito, onde a polícia fez diligência. Mas, de acordo com o militar, ao chegarem na residência, Rodrigo avistou a guarnição e tentou esconder a arma, um revólver calibre 38, na casa de sua vizinha, onde foi feito buscas e encontrada.

Nelson Ferreira da Silva

 

Rodrigo tem 23 anos de idade e confessa ter passagem pela polícia por tráfico de drogas, mas, nega envolvimento nos homicídios dos quais é acusado.

Assim, Maria, Nelson e Rodrigo, foram apresentados na 20ª Seccional de Polícia Civil de Parauapebas. Com eles surge um novo personagem. Trata-se de Tiago Ferreira Araújo, que, por estar na companhia dos suspeitos, também foi conduzido para a DEPOL.

Contra Tiago, pesa apenas a suspeita de também ser envolvido com tráfico de drogas no município. De acordo com justificativas de Tiago, ele apenas estava andando com os suspeitos; disse ainda morar em Canaã dos Carajás e que estava em Parauapebas apenas procurando uma casa para alugar, pois, pretende se mudar para cá, fugindo do desemprego sofrido em seu município.

 

De acordo com o diretor da 20ª Seccional de Polícia Civil de Parauapebas, Gabriel Henrique, Rodrigo é titularizado dentro do bloco carcerário de Parauapebas como chefe do PCC no município. “Agora com a prisão dos suspeitos e apreensão da arma faremos o exame de balística para confirmar se ele é o autor das tentativas e dos homicídios”, explicou Gabriel Henrique.

Publicidade

Veja
Também