Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Polícia prende três acusados na morte do empresário Altamiro Borba

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Graças a uma força tarefa das polícias Civil e Militar de Parauapebas e região, três dos cinco acusados no latrocínio do empresário Altamiro Borba Soares já estão presos e à disposição da Justiça.

Era por volta das 4h00min da manhã desta quarta-feira (24), quando ao comando do Tenente Coronel Mauro Sergio, o sub-tenente Pamplona, os sargentos Edilson, A. Pereira e A. Silva e o delegado de Polícia Civil Thiago Carneiro conseguiram prender no bairro Nova Vida, II Kleber Pereira da Conceição, 22 anos de idade e Rude de Sousa Reis, de 32 anos. Ambos envolvidos do assassinato do empresário.


Confira na íntegra o que falou o acusado Kleber Pereira à nossa equipe de reportagem:

“Eu dei o apoio para os “caras” para eles saírem e acharem a casa onde iríamos dividir o dinheiro do crime. Não sei o endereço da casa, mas meu papel era só de levar os “caras” ao local da casa. Quem atirou no Altamiro foi o “Caburé”, conheci todos eles há uma semana. Cinco pessoas participaram do latrocínio, sendo eles: Sandro, Caburé, Bazuca, Diego e eu.
Quando os dois “meninos” estavam na agência bancária de moto, eu estava esperando eles na esquina para acompanhá-los até a residência que a gente iria dividir o dinheiro, pois eles não conheciam o local. O Caburé e o Diego estavam na agência.
No momento da minha prisão eu estava na casa do Bazuca, que também foi preso em Marabá. Aqui em Parauapebas eu morava com meu primo no bairro Vila Rica.
Nunca fui preso, só estava foragido de Goiânia, onde cometi um homicídio, mas como fugi, não fui preso.
Dividimos mais de R$ 80 mil entre cinco, sendo que eu fiquei com a menor parte, fiquei apenas com R$ 14 mil.
Quem atirou e matou o empresário Altamiro foi o Caburé.
Nós começamos a planejar o crime a cerca de dois meses. Sempre os “meninos” ficavam bebendo e jogando sinuca em um bar que fica nas proximidades do posto de combustíveis dele. Sabíamos que toda segunda-feira ele juntava todo o dinheiro e ia depositar no banco, e na última segunda-feira executamos o latrocínio.
O Caburé ficou com R$ 17 mil e ficou escondido no bairro Altamiro na casa do pai dele, local que não sei explicar onde é”.

Em declarações prestadas à reportagem, o Tenente Coronel Mauro Sérgio da Polícia Militar, afirmou que o trabalho em conjunto com as polícias estão dando resultados e em questão de algumas horas ou dias todos os envolvidos estarão presos e à disposição da Justiça.
Mais dois acusados de fazerem parte da quadrilha que tirou a vida do empresário Altamiro foram presos no município de Marabá.

Reportagem e foto: Vela Preta

 

Publicidade

Veja
Também