Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Prefeitura trabalha para agilizar macrodrenagem de Parauapebas

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Governo planeja começar projeto no primeiro semestre de 2018 e prevê recursos para obras iniciais no Orçamento do ano que vem

O prefeito Darci Lermen está correndo contra o tempo para colocar em execução o Projeto de Saneamento Ambiental, Macrodrenagem e Recuperação de Igarapés e Margens do Rio Parauapebas (Prosap) ou simplesmente Projeto de Macrodrenagem, que irá acabar, definitivamente, com os problemas de alagamentos ainda tão comuns no município e que geram uma série de transtornos para os moradores e preocupação para o governo.


A carta consulta para o financiamento do projeto tramita na Comissão de Financiamento Externo (Cofiex) do Ministério do Planejamento com parecer favorável do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). A macrodrenagem é uma obra gigantesca, que irá transformar positivamente a paisagem de Parauapebas e, melhor ainda, irá garantir qualidade de saúde, consequentemente, de vida à população.

“Nós estamos concentrando todos os esforços para que o financiamento seja logo aprovado pelo Cofiex e a gente possa começar as obras no primeiro semestre de 2018”, diz Darci Lermen, que desde o início do ano vem se articulando para agilizar a obra, orçada em US$ 87,5 milhões, dos quais US$ 70 milhões serão financiados pelo BID e US$ 17,5 milhões são a contrapartida do município.

Darci Lermen entende que Parauapebas não pode mais adiar as obras de saneamento. “É inadmissível que um município como o nosso ainda tenha áreas como a da Palafitas. Nossa gente não merece viver nessa situação e já estamos trabalhando para mudar esse quadro. E nós vamos mudá-lo”, frisa o prefeito.

ABRANGÊNCIA

O prazo de execução e conclusão da macrodrenagem é de seis anos. As obras irão começar no Igarapé Ilha do Coco, desde a sua desembocadura com o rio Parauapebas, no bairro Liberdade, até a divisa do bairro Guanabara com o bairro Caetanópolis.

Darci Lermen adianta que fará parte do início das obras a intervenção no igarapé Guanabara, que passa por traz do Mercado Municipal – onde os alagamentos são preocupantes em período de chuva – e vai até o bairro Nova Vida. Nesse trecho, serão construídos canal superficial, serviços de drenagem e vias marginais. Serviços que também serão realizados no canal da rua Belém, na região das Palafitas.

Além da Ilha do Coco, a macrodrenagem vai abranger as bacias dos igarapés Guanabara e Chácara das Estrelas. São 9.483 metros de extensão atingidos pelas obras, que se consistem em construção de canal superficial, regularização de fundo de canal e calado, urbanização das margens, construção de equipamentos públicos, serviços de microdrenagem, construção de passeios e vias marginais, instalação de rede de esgoto sanitário, construção de Estação de Tratamento de Água e melhorias na rede de distribuição.

Até o final deste ano, todos os projetos dos serviços estarão concluídos, para que no início de 2018 a prefeitura comece o processo de licitações. Darci Lermen está certo de que o Ministério do Planejamento irá aprovar o financiamento pelo BID até porque o projeto passou por várias reuniões com técnicos do próprio banco, que atestaram a viabilidade técnica e financeira da obra.

Mas o prefeito não quer ficar naquela expectativa demorada sobre a aprovação da carta consulta e já se antecedeu: no Orçamento Anual do município estão previstos R$ 40 milhões para o início da macrodrenagem. “Sabemos que o financiamento será aprovado, mas enquanto isso não acontece podemos adiantar essas obras tão aguardadas por nossa gente e que será um grande marco na história de Parauapebas”, enfatiza Darci Lermen.

Reportagem: Hanny Amoras

Publicidade

Veja
Também