Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Reabertura da JUCEPA facilita a vida de empresários em Parauapebas

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Sem atuação em Parauapebas por cerca de 100 dias a JUCEPA, -Junta Comercial do Pará-, retomou seus trabalhos e agora busca sanar as deficiência deixadas por sua ausência.
O retorno se deu com a contratação do advogado Rafael Digiorgio Braga Chaves, que assumiu a coordenação Regional da JUCEPA com a missão de retomar os serviços e normatizar o atendimento. “Nosso objetivo é tentar facilitar a vida dos empresários da região que precisavam levar os processos de abertura de seus negócios a Belém ou Marabá”, explicou Rafael.

O novo coordenador explicou que uma JUCEPA funcionando bem se torna a base da economia do município; e detalha que com isto as empresas são registradas com mais rapidez, contratando consequentemente mais empregados, gera impostos e tributos.


Em falta da JUCEPA no município, conforme explicou Rafael, a junta em Marabá e Belém fica congestionada, mas de acordo com as normas agora podem trazer seus processos para Parauapebas dando continuidade aqui. Ele esclarece ainda que qualquer município do Estado pode fazer suas transações na unidade da JUCEPA em Parauapebas.

Os contadores também sentem o bônus com a retomada dos trabalhos da JUCEPA no município, pois agora deixam de enfrentar a morosidade no registro de empresas, podendo atender melhor a seus clientes. “Agora estes profissionais tem a resposta para seu cliente podendo determinar o tempo que levará para registrar sua empresa”, detalha o coordenador.

Segundo Rafael há outros órgãos estaduais e federais indispensáveis para o bom andamento da economia no município, e cita a Receita Federal que só atende em Parauapebas por força de convênio com a JUCEPA fazendo o DBE, – Documento básico de entrada -, permitindo assim poupar a procura da agencia da Receita Federal. “Mesmo com a JUCEPA funcionando, mas se não houvesse esta parceria, a morosidade seria a mesma em virtude da falta do DBE”, salienta Rafael, detalhando que com exceção de empresas de Sociedade Anônima, que precisa ser passada pelos vogais do colegiado formado por representantes de categorias, todos os registros de empresa começam e terminam na unidade de Parauapebas.

Para a reabertura e funcionamento da unidade no município é necessário o apoio da Prefeitura Municipal e ACIP, – Associação Comercial, Industrial e Serviços de Parauapebas . A prefeitura cedeu servidores e a ACIP espaço físico.

Reportagem e foto: Francesco Costa

Publicidade

Veja
Também