Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

URGENTE: Sérgio Moro pede demissão do Ministério da Justiça

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Foto: Silvia Izquierdo/AP

Sérgio Moro pediu demissão do Ministério da Justiça, em pronunciamento na manhã desta sexta-feira, 24. Ele desmentiu que houvesse um acordo para assumir o cargo no MJ para chegar ao Supremo como ministro. “Não houve isso. A única condição que coloquei, que não revelaria, é de que ao sair da magistratura, se algo me acontecesse, que minha família não ficasse desamparada”. O motivo maior foi a interferência política do presidente Bolsonaro na Polícia Federal, disse Moro.

“Abandonei a magistratura, infelizmente é um caminho sem volta”, disse Moro. “Agora vou descansar. Vou procurar em breve um emprego e independentemente de onde eu esteja, sempre vou estar à disposição do País”. Moro fez duras críticas ao presidente, dizendo que o presidente queria ter acesso aos relatórios de inteligência. E desmentiu que tenha assinado a exoneração de Maurício Valeixo. Mas no Diário Oficial da União saiu com a assinatura de Moro.


Moro começou o pronunciamento falando da carreira, sobre a função de juiz, ressaltou a  Lava Jato, dizendo que o cenário de corrupção foi “modificado”.  Depois falou de quando assumiu o Ministério da Justiça. “Não houve um combate tão efetivo à criminalidade como nesta gestão do Ministério da Justiça”, ressaltou.

Disse que procurou reforçar a Polícia Federal, com concursos, ressaltou o fortalecimento da Força Nacional, espalhada por todo o território brasileiro. Disse que no momento o MJ está voltado ao combate à pandemia de covid-19.

Destacou o pacote anticrime, criticando que não foi “integralmente aprovado”, mas que, segundo Moro, foi importante. “Tivemos uma queda de criminalidade em 2019 sem precedente na história”, mas lembrou que o resultado deve ser compartilhado com os Estados. “O que importa é o resultado, não quem leva a medalha”.

Moro disse que, a partir do segundo semestre do ano passado, passou a ter uma insistência do presidente Bolsonaro para a troca da direção da Polícia Federal. “Não indico superintendente da PF, o único que indiquei foi o Maurício Valeixo”. Disse que os demais cargos, sempre deixou a equipe livre para fazer escolhas técnicas. “Não é aceitável decisões políticas”. Moro disse que pediu ao presidente uma causa para a demissão do superintendente. “Mas o que vi foi um trabalho bem feito”, disse Moro, sobre Valeixo.

Sergio Moro faz pronunciamento e anuncia saída do Governo Bolsonaro: "Presidente não me quer no cargo"

Sergio Moro faz pronunciamento e anuncia saída do Governo Bolsonaro: "Presidente não me quer no cargo"

Posted by Portal Pebinha de Açúcar on Friday, April 24, 2020

Publicidade

Veja
Também