Single Posts
Confirmados
27.118
Single Posts
Recuperados
17.094
Single Posts
Óbitos
184

 Publicidade

Uso público da Floresta de Carajás é apresentado em encontro nacional

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Contando com a presença de várias instituições do Brasil e tendo como objetivo trocar experiências e ideias de planejamento e gestão de uso público em áreas protegidas, foi realizado o I Encontro de Uso Público em Áreas Protegidas, ato ocorrido na UNESP, em São Paulo, onde Parauapebas foi representado pela Coordenadora Nívia Santos e por Priscila Farias. As participantes fazem parte da equipe do Programa de Uso Público da Floresta Nacional de Carajás, e apresentaram o trabalho técnico intitulado “Demanda de visitação na Floresta Nacional de Carajás, Pará, Brasil”.

Com isso, Parauapebas, que conta com três Unidades de Conservação Federais, a Floresta Nacional de Carajás, a Área de Proteção Ambiental do Igarapé Gelado e o Parque Nacional dos Campos Ferruginosos, sendo que além destas unidades, há diversas propostas de criação de áreas protegidas municipais, ganhou visibilidade nacional de forma positiva.


Uso público da Floresta de Carajás é apresentado em encontro nacional

 

A Floresta Nacional de Carajás se tornou mundialmente conhecida pela diversificação dos seus usos econômicos e seus modelos de gestão da visitação, atendendo as demandas de visitação de diversos públicos, onde se pode conhecer, além de sua diversidade biológica, através de sua rica flona e flora, cavernas e cachoeiras; onde o programa de uso público é gerido pelo Instituto Chico Mendes, autarquia do Governo Federal, com apoio direto da Prefeitura Municipal de Parauapebas, através da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SEMMA).

O real interesse de divulgação das áreas naturais se dá pelo fato de que Parauapebas passa por um momento de transformação de novas matrizes econômicas, e as unidades de conservação possibilitam o uso sustentável de diversos recursos, trazendo renda para a comunidade local e conciliando com a conservação da biodiversidade.

Publicidade

Veja
Também