Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Vereadores Euzébio e Miquinha defendem permanência de Dilma na presidência e são vaiados

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Durante a Sessão Ordinária realizada na tarde desta terça-feira (19), dois vereadores de Parauapebas foram vaiados por defenderem a permanência da Presidente Dilma no comando do Brasil.

O primeiro parlamentar a ser vaiado pelos populares presentes na Câmara Municipal foi o petista Euzébio Rodrigues, que afirmou que o “golpe” que pretende tirar Dilma Rousseff da presidência do Brasil, está sendo articulado por políticos que não têm capacidade de governar o Brasil, até porque estão envolvidos em investigações de corrupção.


O segundo vereador a ser vaiado na Tribuna da Câmara Municipal de Parauapebas, foi Israel Pereira Barros, conhecido como Miquinha do PT, que ao usar a Tribuna, nas “explicações pessoais”, afirmou que a saída da presidente Dilma do comando do Brasil não é democrática.

Vereador Miquinha da Palmares
Vereador Miquinha da Palmares

Sobre o impeachment

Por 367 votos favoráveis e 137 contrários, a Câmara dos Deputados aprovou às 23h47 deste domingo (17) a autorização para ter prosseguimento no Senado o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Houve sete abstenções e somente dois ausentes dentre os 513 deputados. A sessão durou 9 horas e 47 minutos; a votação, seis horas e dois minutos.

Às 23h08, pouco mais de 40 minutos antes do fim da sessão, o voto do deputado Bruno Araújo (PSDB-PE) completou os 342 necessários para a autorização do processo. Deputados pró-impeachment comemoraram intensamente no plenário; deputados contrários ao impeachment apontaram injustiça contra a presidente.

Publicidade

Veja
Também