Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Zimmer cobra agilidade para liberar permissão de lavra aos garimpeiros de Curionópolis

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

A reunião foi realizada no gabinete da superintendência e contou com a presença da presidente da Cooperativa,Nadir Santana de Almeida, e do secretário executivo do Sistema Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB/Sescoop-PA), Manoel Rodrigues Teixeira, da representante da Secretaria de Estado, de Indústria, Comércio e Mineração (Seicom), Mônica Moura, e do chefe de fiscalização do DNPM, Thiago Marques edos advogados da Cooperativa, Claúdio e Rosylaine Cardoso, além do agricultor João da Campo.


A pedido do deputado e da comitiva presente, o titular do departamento prometeu convocar os técnicos da fiscalização para analisar melhor os processos protocolados e emitir parecer e,garantiu que em breve irá encaminhá-los ao Ministério de Minas e Energia (MME), em Brasília.
Braga ainda revelou que a instituição sofre com problemas de falta de infraestrutura, além de possuir poucos técnicos que, segundo ele conta com apenas 18, o que dificulta a fiscalização das áreas de garimpo e a análise de cerca de 60 mil processos.

“Pelo menos tivemos uma resposta de encaminhamento para resolver o impasse”, disse Zimmer, explicando que agora vai aguardar e cobrar e depois irá a Brasília.
Para a presidente da Coomafc, o resultado da reunião foi satisfatório. “Estou confiante que a partir disso os processos paralisados vão ser avaliados e já é um bom começo, ”disse Nadir.

Preocupado com as denúncias de que há muitas cooperativas irregulares na região, o representante da OCB/Pa, o secretário Manoel Teixeira, se comprometeu enviar a entidade, uma relação contendo informações de todas as cooperativas ilegais etambém das que estão devidamente regulamentada, de acordo com a legislação do segmento.
A liberação da PLG irá beneficiar diretamente aproximadamente 70 famílias de garimpeiros a terem o direito de extrair minérios da área, seguindo todas as exigências do Ministério. Em busca de melhores condições de sobrevivência,eles também exercem atividades agrícolas com produção de mel, queijo e criação de peixes.

Reportgem: Mara Barcellos

Publicidade

Veja
Também