Publicidade

Mototaxistas serão beneficiados com o programa “Crédito Cidadão” do Governo do Estado

Com o objetivo de discutir melhorias para a categoria, o Presidente da Unimoto (A Cooperativa Unificada de Mototaxistas Motoboys e Rodoviários de Parauapebas), Valmiro Silva de Almeida, convocou seus sócios que se reuniram com representante do gabinete da Prefeitura Municipal de Parauapebas. Segundo Valmiro, tomar decisões que beneficiarão a instituição foram os objetivos centrais da reunião, citando o Crédito Cidadão, que possibilitará, segundo ele, o financiamento de veículos para que a categoria tenha uma rentabilidade melhor.

Uma parceria foi firmada entre o governo estadual e o municipal para concessão de crédito facilitado ao trabalhador que estiver regularizado. “Às vezes eles têm a necessidade de trocar de moto, então essa é uma oportunidade de adquirir um veículo novo com taxas de juros baixas comparados ao mercado em geral”, informou o representante do gabinete, Igor de Oliveira.
De acordo com o presidente da cooperativa, existe uma parceria com a prefeitura municipal e com outros órgãos para viabilizar a criação de novos pontos para prestar serviços à comunidade, fiscalização de atividade clandestina, tarifa urbana cobrada, padronização do transporte e aquisição de novas frotas.


O serviço do transporte alternativo é diferenciado do convencional e por esse motivo o preço é maior, mas existe um controle estabelecido pela cooperativa. “O valor mínimo é R$ 5,00 para distância de até cinco quilômetros. Quem cobrar mais que isso estará sendo abusivo e pode ser denunciado à entidade da Unimoto em frente a Big Bem do bairro Cidade Nova”, alertou o presidente.
Segundo o representante, essas melhorias devem acontecer em médio prazo, cerca de vinte motos estão previstas para ser entregue já neste mês, a data exata ainda não foi confirmada. “Nós estamos na expectativa para que no semestre que vem a gente possa beneficiar um maior numero de pessoas, quem não conseguiu desta vez tem chance de comprar sua moto em breve”, completou.

Antônio Feitosa é um dos 428 cooperados, e trabalha como moto-taxista há dez anos; ele reclama do mau momento do mercado. “Ultimamente não está bom, já esteve melhor. Devido a grande quantidade de táxi-lotação funcionando clandestinamente na cidade, nossa categoria está sendo prejudicado”, reclamou.

Reportagem e foto: Francesco Costa – Da Redação do Portal Pebinha de Açúcar

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu