Publicidade

Cinco empresas respondem por quase 60% da mineração; saiba quais

No último ranking sobre a indústria mineral brasileira apresentado agora, com exclusividade, pela Associação Paraense de Engenheiros de Minas (Assopem), será demonstrada a movimentação financeira das 30 mais poderosas empresas em janeiro, com base em dados da Agência Nacional de Mineração (ANM).

Dos 4.257 CNPJs que declaradamente lavraram minérios no país, cinco empresas tiveram o poder magistral de conseguir, juntas, movimentar R$ 5,21 bilhões, o equivalente a quase 60% dos R$ 9 bilhões arregimentados por todas as empresas. Vale (R$ 3,4 bilhões), Anglo American (R$ 578 milhões), Minerações Brasileiras Reunidas (R$ 556 milhões), Companhia Siderúrgica Nacional (R$ 381 milhões) e AngloGold Ashanti (R$ 298 milhões) são imbatíveis no quesito extração mineral.


A Vale, sozinha, movimenta R$ 1 de cada R$ 2,65 produzidos pela mineração brasileira, um dos fatores que a tornam uma das cinco maiores mineradoras do globo.

Para a elaboração do ranking de faturamento pela lavra de minérios, a Assopem compilou os diversos CNPJs pertencentes a uma mesma companhia. A Vale, por exemplo, é a primeira da lista como a Vale S/A, mas marca presença em outras posições — todas aqui aglutinadas — por meio de outras integrantes de sua organização, como a subsidiária Salobo Metais, a Vale Fertilizante e a Vale Manganês. O mesmo ocorreu com a Anglo American, notada por meio de operações separadas de ferro e níquel. A Votorantim, com zinco e cimento em CNPJs distintos, também foi sintetizada num corpo só.

Aqui no Pará, em janeiro, as empresas líderes foram Vale (R$ 2,3 bilhões), Rio do Norte (R$ 132,2 milhões), Paragominas (R$ 122,6 milhões), CHM do Brasil (R$ 54,4 milhões), Buritirama (R$ 40,4 milhões), Imerys (R$ 38,9 milhões), FD Gold (R$ 37,6 milhões), Alcoa (R$ 31,9 milhões), Serabi (R$ 28,2 milhões) e Avanco (R$ 27,2 milhões).

Vale registrar a presença de entidades públicas no ranking, como a Petrobras (10ª colocação), o Governo de São Paulo (18ª) e a Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig) (20ª).

Confira o ranking nacional!

 

Fonte: Assopem

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu