Banner Educar


Coluna do Lima Rodrigues – Agronegócio

Coluna do Lima Rodrigues – Agronegócio

Circuito Nacional do Ranking Nelore tem novas regras para as exposições e competições

A Associação dos Criadores de Nelore do Brasil (ACNB), com o objetivo de melhorar cada vez mais seus projetos e ações em prol do Nelore brasileiro, apresenta novas regras para o Circuito Nacional do Ranking Nelore. As atualizações passaram a valer já a partir do ano calendário 2017/2018, cujo circuito teve início em outubro de 2017 e acontecerá até setembro de 2018.

O Ranking Nacional passa a contar com 11 exposições oficiais mais a Expoinel Nacional, sendo que o criador/expositor somará os 7 melhores resultados mais a Expoinel Nacional, descartando os demais. Durante o ano de 2017 ocorreram duas exposições oficiais, a primeira na cidade de São José do Rio Preto (SP) e a segunda em Brasília. Já para o ano de 2018, a agenda contempla as outras 10 exposições, que acontecem nos municípios de Uberaba (MG) (Expoinel Minas/Expozebu), Campo Grande (MS), Londrina (PR), Goiânia (GO), Avaré (SP), Rio Verde (GO), Vila Velha (ES), Bauru (SP), encerrando com a Expoinel Nacional, também em Uberaba.

Criação do Nelore pelo Brasil

Para o ano calendário 2017/2018, os participantes da Liga dos Campeões serão os 10 melhores criadores (as) e expositores (as) do ranking geral do ano calendário 2016/2017.

“O Circuito Nacional do Ranking Nelore teve início em outubro de 2017, com continuidade durante todo o ano de 2018. Trata-se de uma iniciativa de suma importância para analisar como está a criação da raça pelo Brasil. Os criadores e expositores trazem seus animais para competir, criando possibilidade de estudos específicos, o que possibilita enxergar os pontos necessários para obter maior excelência produtiva e reprodutiva do Nelore”, analisa Marcos Pertegato, gerente técnico da Associação dos Criadores de Nelore do Brasil.

A partir de agora, os primeiros, segundos e terceiros melhores criadores (as) e expositores (as) da Super Copa passam a competir na Liga dos Campeões do calendário seguinte. Os oitavos, nonos e décimos classificados da Liga dos Campeões passarão a competir na Super Copa do ano calendário posterior. Criadores (as) / Expositores (as) que participarem de 3 ou menos exposições do Circuito Nacional Nelore terão suas pontuações zeradas por decisão automática no Ranking Nacional. As exposições que compõem o Circuito Nacional Nelore deverão ter seus leilões chancelados pela ACNB.

“A ACNB pensou na forma mais justa e equilibrada possível para alterar algumas regras do Circuito Nacional do Ranking Nelore. Queremos dar oportunidade para que todos os criadores possam participar e apresentar seus trabalhos de seleção genética com o Nelore”, comenta Marcos Pertegato.

As principais mudanças do Circuito Nacional do Ranking Nelore são:

Novo campeonato / Apresentação dos animais: Criação do Campeonato Supremo, a ser realizado de acordo com a soma das pontuações como expositor e criador no ambiente da competição (exposição). Os animais avaliados – individuais ou membros de conjuntos progênies – não poderão ser apresentados com cabrestos nem com identificação de criatórios diferentes do que estiver expondo o animal.

Campeonatos de Matrizes, Reprodutores e Reprodutores Nova Geração: Nos campeonatos Reprodutores e Reprodutores Nova Geração serão contabilizados os 20 melhores resultados para o reprodutor mais as premiações das respectivas progênies. Já no ranking para Matrizes, Reprodutor e Reprodutor Nova Geração serão somados os 7 melhores resultados das exposições do Circuito Nacional Nelore, os 4 melhores resultados (fora do Ranking Nacional) e a Expoinel Nacional. As demais pontuações serão descartadas.

Reprodutores Nova Geração / Subdivisão de categorias: A idade máxima do reprodutor para participar do campeonato Melhor Reprodutor Nova Geração e Progênie de Pai Nova Geração será de 96 meses (8 anos). A divisão dos animais nos campeonatos e categorias será por ordem crescente de idade.

Para mais informações sobre outras novidades do Novo Circuito Nacional do Ranking Nelore, acesse: www.nelore.org.br ou no telefone (11) 3293-8900.

(Fonte: Gustavo Cezario – TEXTO COMUNICAÇÃO CORPORATIVA – SP).

Carnaval requer cuidados com os olhos

O carnaval é época de cair na folia, caprichar na maquiagem e na fantasia. Mas para não encerrar a festa antes da hora é preciso tomar alguns cuidados com os olhos. Neste período, crescem os casos de inflamação e a doença mais comum é a conjuntivite, pois as aglomerações, principalmente em ambientes fechados, favorecem a proliferação de vírus. Sprays de espuma e maquiagens também podem aumentar o risco de contaminação nos olhos por agentes biológicos e químicos, causando blefarite, terçol, e alergias.
Os sintomas de conjuntivite viral ou bacteriana são pálpebras inchadas, vermelhidão, sensação de areia nos olhos e secreção. Em ambos os casos a pessoa precisará de tratamento especializado. Segundo o oftalmologista Luiz Felipe Diniz, do Hospital Brasileiro de Olhos, a melhor forma de evitar as conjuntivites durante o carnaval é manter as mãos limpas, não coçar os olhos, optar por locais arejados e não compartilhar maquiagem nem óculos.

O oftalmologista Luiz Felipe Diniz, do Hospital Brasileiro de Olhos, de Brasília, alerta sobre os cuidados que devemos ter com os olhos durante o carnaval

 

Excesso de maquiagem

O excesso de maquiagem pode acarretar problemas. “Sombras com glitter ou purpurina podem arranhar o cristalino ou ainda se acomodar nas pálpebras, causando irritação”, explica o médico. O lápis de olho também pode obstruir os orifícios das glândulas de meibômio, que são responsáveis pela secreção de material gorduroso presente na composição da lágrima. Com a obstrução das glândulas, aumentam os riscos de inflamação e infecção local, causando terçol ou blefarite (inflamação das pálpebras)”, esclarece o especialista.
Recomenda-se utilizar maquiagem de boa qualidade e retirá-las com demaquilantes bifásicos, além de lavar bem o rosto. Respeitar o prazo de validade dos produtos é importante.

O spray de espuma, muito utilizado neste período, também é um grande risco para os olhos. “Esse tipo de spray utiliza substâncias como o poliuretano, além de gases para o efeito de spray (gás butano) que podem causar lesões nas mucosas dos olhos”, afirma Luiz Felipe Diniz.

O médico explica que se a substância entrar nos olhos, é importante lavar o local com água corrente e não aplicar nenhuma medicação. “Nada de colírios, pomadas, isso só vai agravar o problema. Se após a lavagem ainda houver dor ou sensação de areia nos olhos ou ainda uma piora da visão, é imprescindível procurar a ajuda de um oftalmologista”, diz o especialista.

Objetos estranhos como os variados tipos de serpentinas, confetes e outros artifícios que são empregados em festas de carnaval, podem lesionar os olhos. Por isso, durante o dia recomenda-se usar óculos com proteção UVA e UVB, pois além de proteger os olhos dos raios ultravioleta, impede lesões provocadas por estes objetos. À noite, redobre a atenção. (Release enviado para a coluna – via e-mail – pela jornalista Camila Cortez, da Suprema Comunicação Integrada, de Brasília).

Boa carnaval a todos, brinque em paz e com responsabilidade. Se for beber, não dirija e evite os excessos. Até depois do carnaval com saúde e paz.

Fechar Menu
error: Reprodução proibida!