Publicidade

Escolas públicas de Parauapebas e Canaã dos Carajás recebem livros infantojuvenis

O Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (PNAIC), iniciativa do Ministério da Educação, ganhou reforço da Fundação Vale, que está complementando o acervo encaminhado pelo MEC às escolas com a entrega de maletas de livros infantojuvenis. As Secretarias de Educação de Parauapebas e Canaã dos Carajás receberam mais de 4.600 livros com temas étnicos-raciais para serem distribuídos em suas unidades educacionais. A ação faz parte do projeto Rodas de Conversa, desenvolvido pela Fundação Vale, que tem como objetivo contribuir para a alfabetização de crianças até oito anos e estimular nos professores a prática da leitura em sala de aula.

Os exemplares selecionados abordam história, costumes e a cultura afro-brasileira e indígena e estão sendo distribuídos em 466 maletas. Elas foram desenvolvidas para serem usadas tanto em sala como em espaços alternativos, como quadras, auditório e até praças de convivência.


Marabá e Eldorado dos Carajás receberam 438 maletas em julho, totalizando 4.380 livros. Em cada município paraense beneficiado com a entrega do material, foram realizados encontros com o escritor indígena Daniel Munduruku com participação de professores e alunos.

Em 2013, o projeto realizou 63 Rodas de Conversa, com a participação de 859 educadores e 1.882 alunos. Foram ainda distribuídos 9.867 livros em 897 maletas, incentivando a leitura de mais de 22.400 alunos de municípios do Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Rio de Janeiro. Em 2014, o projeto prevê a distribuição de mais de 1.500 maletas e 15.000 livros para turmas de 1º ao 3º ano de Ensino Fundamental da rede pública dos municípios do Pará, Minas Gerais, Espírito Santo e Rio de Janeiro.

Alinhamento às políticas públicas
O projeto Rodas de Conversa, da Fundação Vale, é uma contribuição ao Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (PNAIC), programa do Ministério da Educação (MEC) voltado à alfabetização, em Língua Portuguesa e Matemática, de todas as crianças das escolas públicas brasileiras do 1º ao 3º ano do Ensino Fundamental, atendendo a uma das metas estabelecidas pelo Plano Nacional de Educação (PNE).

Ao valorizar a temática étnico-racial, o projeto contribui ainda para a execução das Leis 10.639/03 e 11.645/08, que estabelecem a obrigatoriedade de inclusão das temáticas afro-brasileira, africana e indígena no currículo da rede pública de ensino.

Lição de reutilização
Além de conteúdo, as maletas distribuídas nas escolas trazem uma lição de sustentabilidade. Elas foram confeccionadas pelo grupo “Tem Quem Queira”, empresa social que contribui para a capacitação e geração de renda de detentos de Niterói e Rio de Janeiro, além da comunidade do Morro do Turano, localizada na Zona Norte carioca.

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu