Publicidade

Polícia continua investigando morte de “pé inchado” em Parauapebas

As primeiras investigações realizadas pela equipe do delegado Nelson Alves Júnior, quanto ao crime de homicídio, na tarde de domingo (23), na rua 15, esquina com rua A, bairro Cidade Nova, área conhecida por “pé inchado”, que vitimou Antônio Rodrigues de Oliveira, leva a polícia a pelo menos três hipóteses: crime por encomenda, vingança ou dívida de drogas.

Segundo a polícia, Antônio Rodrigues, havia sido preso uma semana antes de ser morto, por ter esfaqueado um homem na Feira do Produtor, mas como sua vítima não compareceu para registrar ocorrência, o mesmo foi liberado. De acordo com o delegado Nelson Alves, Antônio Rodrigues estaria envolvido em um crime de homicídio em 2012, junto com um traficante, onde mataram um rapaz na beira do Rio Parauapebas. “Além desses crimes, ele consumia e traficava drogas, a morte dele pode estar relacionada à dívida de drogas. Ele também era um homem muito violento”, ressaltou o delegado.


Até então, a Polícia não tem pista do paradeiro do assassino, nem tão pouco o real motivo do crime. O delegado lembrou que no dia do crime o assassino desceu da moto e desferiu um tiro fatal na vítima. Quando esteve preso o mesmo se identificou como sendo Antônio Rodrigues Oliveira, porém segundo o delegado, a família dele relatou que seu verdadeiro nome seria Ezequiel, e que o nome que ele usava pertencia a seu avô.

Antônio ou Ezequiel, também vinha sendo investigado acusado de matar um policial na cidade de Jacundá.

Reportagem e foto: Caetano Silva – Da Redação do Portal Pebinha de Açúcar

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu