Publicidade

SECA: Se acontecer em Parauapebas, seria problema de gestão

Por: * Jorge Clésio

Está em evidência a crise hídrica que vem atingindo algumas regiões do sudeste, especialmente o Estado de São Paulo. Alguns, movidos pela força noticial e midiática resumem-se em dizer que o problema está na falta de gestão e investimentos do estado (para atacar ou favorecer algum candidato), o que também tem uma parcela de influência, mas a real consequência disso vem de fatores conjuntos desde problemas estruturais, fenômenos naturais e a má localização hídrica (maioria da população fica localizada na cabeceira do rio Tietê, onde o rio tem menos água). Ao pesquisarmos podemos notar que alguns especialistas chegam a reafirmar isto.


Nossa região, Parauapebas, é hidrograficamente bem localizada como já citado em um artigo anterior (pode ser constado por qualquer cidadão), mesmo com essas vantagens geográficas vem sofrendo alguns desconfortos em relação ao abastecimento hídrico como: falta d’agua para as atividades domésticas e comerciais, sucessivamente todos os dias em muitos bairros.

Diferentemente da região citada na abertura, o município é situado em toda a sua extensão, ao lado, o rio que leva seu próprio nome, além de ser interrompido ao meio por pelo menos três riachos, perene, que escoam para o rio, rio este usado para captação de água, podemos concluir que recursos hídricos não é o problema. Um fato é que os riachos envolvem a parte interna e externa do município, porém não preservados e ecologicamente precários, onde seus mananciais são ignorados no âmbito preservacionista e suas margens são devastadas, em especial, por iniciativas imobiliárias, as mesmas protegidas por lei.

A Seca em Parauapebas é uma das possibilidades não aplicável, mas a falta de diligência para tornar a água um bem comum, zelável, reaproveitável e preservada é evidente. A responsabilidade fica a mercê apenas dos que se auto conscientizam (que são poucos) assim acarretando a degradação/poluição/deterioração dos nossos recursos naturais.

* Jorge Clésio, Acadêmico de Eng. De Produção e ADMIN do Grupo Eu Amo Parauapebas.

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu